Notícia

Como fizemos o teste com protetores

29 novembro 2012
teste

29 novembro 2012

Levamos ao laboratório 15 produtos destinados a adultos e crianças para avaliar a eficácia e veracidade das informações do rótulo.


A PROTESTE testou dez marcas de protetores e bloqueadores para adultos, com FPS 30, e mais cinco infantis, com FPS 60. Em um laboratório qualificado, creditado e idôneo. Fizemos o teste in vitro e os resultados são validados e reprodutíveis.

As análises foram realizadas com placas de polimetilmetacrilato (PMMA) com rugosidade semelhante a da pele, simulando a epiderme humana. A princípio, para a determinação do FPS os testes in vitro são inteiramente adaptáveis para avaliar os filtros solares durantes um estudo comparativo, com filtro físico (inorgânico) ou químico (orgânico).

  • O filtro físico tem a propriedade de refletir as radicações solares, esta propriedade é mais efetiva se a superfície de reflexão for grande, e é por isso que estes filtros físicos (inorgânicos) são utilizados em produtos de forma micronizada (processo de redução do diâmetro médio das partículas de um material sólido), podendo ser avaliado tanto no teste in vivo ou in vitro.
  • O filtro químico (orgânico) tem espectro de ação entre 290nm até 400nm, suas moléculas absorvem a radiação UV fazendo com que sejam indispensáveis na composição dos protetores solares. Todos os filtros testados continham filtro químico com ou sem adição de filtro físico.

Procedimento do teste:

Durante o teste o produto foi espalhado de forma homogênea em placas de polimetilmetacrilato (PMMA), após a secagem destes produtos nas placas em ambiente escuro, por 15 minutos, foram feitas as medições de transmitância, que é a fração da radiação ultravioleta que atravessa efetivamente o conjunto placa mais filtro solar. Foram realizadas pelo menos quatro medições de cada placa, movendo-as a cada medição. 

Veja no artigo ao lado quais foram os parâmetros utilizados no teste.


Imprimir Enviar a um amigo