Notícia

Antitabagismo: há muito o que fazer

26 maio 2010

26 maio 2010

Para o Dia Mundial sem Tabaco, a PROTESTE considera positivo o avanço das leis antifumo, mas é necessário manter as campanhas.

Para marcar o Dia Mundial Sem Tabaco, comemorado no dia 31 de Maio, a PROTESTE faz um balanço dos principais avanços sobre os problemas e riscos do tabagismo.

A aprovação de leis antifumo em 12 estados brasileiros e no Distrito Federal é um dos pontos a serem comemorados.

A eficácia das leis antifumo pode ser comprovada, por exemplo, por pesquisa realizada pelo Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP. O monóxido de carbono caiu 73% nas casas noturnas de São Paulo seis meses após a aprovação da lei estadual antifumo. A contaminação por gás carbônico no organismo dos funcionários de casas noturnas reduziu 53%; nos bares 48% e nos restaurantes 45%.

Além disso, a prevenção tem sido feita por meio de campanhas destinadas a crianças e adolescentes para evitar que sejam estimulados ao hábito de fumar.

Tabagismo é o início de diversas doenças

O tabagismo é uma doença, pois é uma prática que restringe o bem estar físico, psíquico e social do fumante, uma vez que causa dependência e gravíssimas repercussões na saúde.

Do tabagismo derivam doenças como:

  • Infarto e angina,
  • Câncer no pulmão,
  • Bronquite e enfisema
  • Doenças vasculares, como derrame cerebral e trombose;
  • Impotência sexual no homem,
  • Complicações na gravidez
  • Aneurisma

Além disso, há o tabagismo passivo, resultante da inalação da fumaça de derivados do tabaco por não-fumantes, que convivem com os fumantes em ambientes fechados.

Pare de fumar

Para ter mais informações acesse o site do INCA e se cadastre à Aliança Por um Mundo Sem Tabaco. E para receber ajuda para parar de fumar ligue para o  Disque Saúde 0800-611997.


Imprimir Enviar a um amigo