Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Anvisa retira medicamentos do mercado
Suplemento alimentar e fitoterápicos estão na lista dos produtos proibidos.  
27 julho 2017 |
Remédios
Sabe aquele remedinho “inocente”, vendido em campanhas publicitárias superproduzidas? Fique alerta, porque ele pode não ser tão inofensivo assim. Tanto que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulga, diariamente (isso mesmo!), em seu site (http://portal.anvisa.gov.br/) uma lista de medicamentos, suplementos e cosméticos que apresentam os mais diversos problemas – desde a qualidade como a ausência de registro, por exemplo. E, nos últimos 15 dias, entraram para a “lista negra” quatro novos produtos: o suplemento da Cactinea, de Vitamina C à base de Acerola com Extrato de Cactaceae Hyloceres Undatsm; o vermífugo Benzol (albendazol), e as farinhas Medida Certa Original Plus com Chia e Seca Barriga Original Plus com Chia e Goji Berry
No caso do suplemento alimentar, a Anvisa proibiu tanto a comercialização do produto como as propagandas nas mídias eletrônicas. Tudo porque o Cactinea não tem avaliação de segurança para uso em alimentos nem registro como novo medicamento – exigências do órgão. Com isso, a fabricante, Nutreo Comércio Produtos Homeopáticos Eireli, deve recolher todo o estoque disponível no mercado. 

Barriga

 
Os produtos fitoterápicos distribuídos pelo Armazém da Nutrição Comércio de Alimentos também foram limados. Foram proibidas a fabricação, a comercialização e o uso das versões em pó e em cápsula da Farinha Medida Certa Original, assim como a Farinha Seca Barriga Original Plus com Chia e Goji Berry. De acordo com a Anvisa, ambas estavam sendo vendidas sem seguirem as normas sanitárias e sem registo no órgão. E, como se não bastassem, não há comprovação alguma de seus efeitos. 
Fique longe também do lote 3415 do medicamento Benzol (albenazol), comprimidos de 400 mg, da Green Pharma Química e Farmacêutica. Segundo o laudo da análise, o conjunto citado teve resultados insatisfatórios quanto ao ensaio de dissolução. 

Homem bobo 
 
SITE TAMBÉM É PENALIZADO
 
O portal Harp Saúde Total também não passou pelo pente fino da Anvisa. O órgão proibiu a publicidade de todos os produtos comercializados no site que alegam fins terapêuticos. Motivos: as peças publicitárias não tinham sido aprovadas pelo Anvisa e não havia registros sanitários nem autorização de funcionamento para a venda de medicamentos - estes, aliás, só são concedidos quando os requisitos sanitários são cumpridos. Desse modo, não há comprovação alguma de que as ações terapêuticas sejam, de fato, verdadeiras. 
Todos os produtos enquadrados pela Anvisa devem ser retirados dos pontos de venda, mas, se por um acaso, encontrá-los por aí, a orientação é: não os comprem nem faça uso deles. Do contrário, poderá colocar a sua saúde em risco. 
 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

remédios
img-plano-saude1
comprimidos
plano-de-saude-cuidados

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.