Notícia

Catapora: o perigo está no ar

05 setembro 2012

05 setembro 2012

O contágio é tão fácil quanto pegar uma gripe. E a vacina pode evitar que a doença se manifeste de forma mais grave. 

A catapora é uma doença altamente contagiosa e seu principal sintoma são as erupções cutâneas vermelhas que podem cobrir todo o corpo. Mas é preciso ficar atento, pois o período de incubação pode levar até 21 dias e como os sintomas iniciais são parecidos com os da gripe a doença pode ser descoberta apenas com a aparição das lesões.

O final do inverno e o início da primavera são as épocas em que há o maior número de casos, sobretudo em creches e escolas, por isso crianças de 1 a 10 anos formam o grupo mais suscetível. O vírus varicela-zoster infecta cerca de 90% das pessoas que entram em contato com ele, por isso a infecção pode ocorrer em qualquer idade.

O vírus da catapora é transmitido sendo veiculado através de milhões de gotículas que saem do nariz e da boca, quando a pessoa infectada espirra ou tosse. O indivíduo entra em contato direto com o vírus ao respirar essas gotículas presentes no ar. O vírus também pode ser transmitido pelo contato com as lesões cutâneas da doença.

O período de incubação do vírus pode levar de 10 a 21 dias e o período mais infeccioso é de 1 a 2 dias antes do aparecimento das erupções até a formação de crostas, que pode levar de cinco a seis dias após o início das erupções.

Os sintomas mais comuns são mal-estar geral, dor no corpo e na cabeça, febre e perda de apetite. A fase seguinte é a manifestação das erupções, causadoras da coceira que formam pequenas bolhas com líquido transparente que se rompem e dão origem às feridas. Na fase de cicatrização, elas ganham uma crosta e depois desaparecem.

As erupções costumam surgir, inicialmente, no tronco ou na face e só depois se disseminam para braços e pernas. Os lugares mais comuns são atrás da orelha, na face, no couro cabeludo, nos braços, nas pernas, no peito e na barriga. Em alguns casos, as manchas podem aparecer até dentro da boca, nas palmas das mãos, nas solas dos pés e na região genital.

Tratamento indicado:

  • Repouso obrigatório até que todas as lesões cicatrizem.
  • Ingerir muita água para evitar a desidratação.
  • Geralmente os médicos prescrevem antitérmicos para controlar a febre e diminuir a prostração. Medicamentos que contenham ácido acetilsalicílico, porém, não podem ser utilizados. Neste caso, pode-se adotar o uso do paracetamol.
  • Não coçar as lesões para evitar contaminações.
  • Banho com sabonetes antissépticos para evitar infecções das bolhas.

Imprimir Enviar a um amigo