Notícia

Conheça o tratamento da Caxumba e como prevenir-se

14 julho 2015
Caxumba

14 julho 2015

Surtos de caxumba no Rio de Janeiro criam alerta para a doença. Além de crianças, jovens e adultos também precisam estar atentos ao calendário de vacinas.

A caxumba, também chamada de papeira ou parotidite,é uma doença provocada por um vírus da família paramyxovirus. É caracterizada principalmente pelo inchaço das glândulas que produzem saliva, que ficam nas laterais do pescoço e abaixo da mandíbula. A doença geralmente é benigna, mas pode haver complicações. 



Como ocorre a transmissão

Altamente contagioso, o vírus da caxumba, é transmitido por contato direto com gotículas de saliva ou perdigotos (ao falar, tossir ou espirrar) de pessoas infectadas, a partir de dois dias antes até nove dias depois do aparecimento dos sintomas. Costumam ocorrer surtos da doença no inverno e na primavera, e as crianças são as mais atingidas.

Sintomas da caxumba

A doença tem um período de duas a três semanas entre o contágio e o aparecimento dos primeiros sinais que são: febre, calafrios, dores de cabeça, musculares e ao mastigar ou engolir, além de fraqueza. 

Os sintomas mais característicos da doença são o inchaço e dor nas laterais do pescoço, logo abaixo do maxilar. Isso porque o vírus da caxumba provoca inflamação nas glândulas responsáveis pela produção de saliva, que ficam na região. Essas glândulas são as parótidas, as submandibulares e as sublinguais.



Complicações podem ocorrer


Apesar de raras, as complicações que podem ocorrer são: meningite (rigidez na nuca, dor de cabeça e prostração), orquite (inflamação dos testículos) e ooforite (inflamações dos ovários), que pode resultar em esterilidade. 

A caxumba também pode levar à surdez, embora os casos sejam muito raros. Vale lembrar que as complicações da doença exigem assistência médica imediata.



Diagnóstico

O diagnóstico é basicamente clínico. Entretanto, há exames de sangue que ajudam identificar a presença de anticorpos contra o vírus da caxumba. Eles devem ser realizados quando for necessário estabelecer o diagnóstico de certeza. 


Tratamento


Não há remédios específicos para a caxumba. O tratamento basicamente consiste em aliviar os sintomas de dor e mal estar com analgésicos e antitérmicos. Permanecer em repouso enquanto durar a infecção também é importante.

Prevenção

A prevenção contra a caxumba é simples: tomar a vacina tríplice viral, que protege contra caxumba, sarampo e rubéola. A pessoa deve ser imunizada pela primeira vez com 1 ano de idade, e tomar a segunda dose da vacina aos 15 meses de idade.

No SUS, a tríplice viral está disponível gratuitamente para pessoas de até 49 anos de idade. Para crianças e adolescentes de até 19 anos, estão disponíveis as duas doses. Para pessoas entre 20 e 49 anos, o sistema público de saúde recomenda e oferece apenas uma dose. As grávidas não podem ser vacinadas.

Quem já tomou as duas doses da vacina não precisa se imunizar de novo ao longo da vida. São raros os casos de reinfecção pelo vírus da caxumba. Em geral, uma vez infectada, a pessoa adquire imunidade contra a doença. 

Apesar de uma terceira dose não ser recomendação expressa dos especialistas, quem não tem certeza se foi vacinado duas vezes, pode tomar por precaução. Só é possível ter certeza com o registro na carteira de vacinação.



Cuidados


Caso uma pessoa seja afetada, ela não deve comparecer à escola ou ao trabalho durante nove dias após início da doença. É preciso, ainda, desinfetar os objetos contaminados com secreções do nariz, da boca e da garganta do doente.


Recomendações

• Não se automedique, nem medique a criança antes de consultar um médico e ter o diagnóstico de certeza de caxumba, doença também conhecida como parotidite infecciosa ou papeira;
• Mantenha o doente em repouso até que tenham desaparecido os sintomas;
• Ofereça-lhe alimentos líquidos ou pastosos, que são mais fáceis de engolir;
• Lembre-se: adultos que não foram vacinados ou não tiveram a doença podem ser infectados pelo vírus da caxumba e por isso devem ser vacinados;
• Atenção mulheres que nunca tiveram caxumba, nem tomaram a vacina: procurem um posto para serem vacinadas antes de engravidar. Na gestação, a doença pode provocar abortamento.


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo