Notícia

Cuidados com medicamentos na gravidez

29 setembro 2011

29 setembro 2011

O uso de medicamentos na gestação envolve riscos potenciais ao feto em desenvolvimento, e por isso deve ser evitado.

Estudos conduzidos no Brasil mostram que até 97% das gestantes utilizam medicamentos, com ou sem prescrição médica. A administração de fármacos durante a gravidez envolve diversos riscos não só para a mãe, mas também para o bebê.

Os três primeiros meses constituem o período de maior risco, podendo ocorrer malformações congênitas.

Durante o segundo e o terceiro trimestre, os fármacos podem afetar o crescimento, o desenvolvimento funcional ou ter efeitos tóxicos sobre os tecidos fetais.

Medicamentos administrados próximos ou durante o parto podem apresentar efeitos adversos sobre o trabalho de parto e o neonato. Há também evidências de que o desenvolvimento intelectual e social também pode ser afetado pelo uso de medicamentos durante a gestação.

Não existem medicamentos completamente seguros para uma gestante. Por isso, é importante consultar um médico antes de usar, porque somente um profissional poderá orientar-lhe, de acordo com a classificação de risco do medicamento, o que é mais indicado no seu caso. Essa classificação é dividida em:

- Permitidos quando necessário;
- Permitidos com cautela;
- Permitidos quando o benefício supera o risco;
- Permitidos em caso de extrema necessidade;
- Contraindicado para mulheres grávidas ou que desejam engravidar.

Além dos medicamentos comuns, a grávida também precisa estar atenta às plantas medicinais, aos medicamentos homeopáticos e até mesmo a alguns tipos de cosméticos. O mais importante neste período é manter uma relação aberta com o obstetra que acompanha a gravidez, pois quando os medicamentos são corretamente prescritos, eles auxiliam na condução de uma gestação tranquila, segura e com melhores resultados para a mãe e o bebê.


Imprimir Enviar a um amigo