Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Genéricos: no gosto dos brasileiros
Pesquisa inédita da PROTESTE revela que população confia nesses remédios. Mas parte da classe médica ainda tem dúvidas.
23 agosto 2011 |

Os medicamentos genéricos, aqueles que vêm nas embalagens estampadas com um grande “G” sobre uma tarja amarela, já são uma realidade no Brasil. Mas que percepção terá a população – e parte da classe médica – dessa categoria? Essas pessoas acham esses remédios confiáveis? Será que para elas esses medicamentos têm a mesma segurança de seus equivalentes de marca?

Para saber mais sobre o que os brasileiros pensam dos genéricos, a PROTESTE realizou uma pesquisa inédita sobre esses medicamentos. Descobrimos que, embora esse mercado ainda seja relativamente novo no Brasil, tendo sido criado em 2000 e representando atualmente 21% das vendas farmacêuticas (em contraste com os até 60% que detêm em países com mais tradição nesse segmento), os brasileiros têm uma visão positiva deles.

Dos entrevistados, 83% afirmaram acreditar que eles são tão eficazes quanto os medicamentos de referência, enquanto para 80% deles esses remédios apresentam a mesma segurança que os de marca. Eles mostraram preferir os genéricos aos medicamentos de marca até para o tratamento de doenças graves, como problemas cardíacos e diabetes.

No entanto, a parcela da classe médica entrevistada se mostrou mais crítica, especialmente em relação a questões como os processos de avaliação da qualidade e de controle desses remédios.

Para saber tudo sobre esta surpreendente pesquisa e ver ainda a primeira edição da nossa nova revista, Proteste Saúde, acesse agora a íntegra dessa matéria.


Leia também

preco-galaxy-s7
alimenta-4
onde-comprar-materiais-de-construcao-barato
plano-de-celular

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.