Notícia

Mitos e verdades sobre a síndrome de Down

27 fevereiro 2014

27 fevereiro 2014

A pessoa com síndrome de Down pode trabalhar e deve receber orientação sexual. Essas são afirmativas verdadeiras, embora existam por aí diversos mitos em relação ao assunto. Para deixar de lado conceitos equivocados sobre o tema, confira os tópicos a seguir:

Crianças com síndrome de Down adoecem mais.

Verdade. Como consequência da baixa resistência imunológica, as crianças com síndrome de Down são mais suscetíveis a infecções. Embora essa propensão diminua com o crescimento, o acompanhamento médico é sempre recomendável.

 

A sexualidade das pessoas com a síndrome é mais aflorada. 

Mito. A sexualidade da pessoa com síndrome de Down é igual a de todas as outras. O mito existe porque grande parte da população não considera essa sexualidade. Dessa maneira, elas não recebem orientação sexual apropriada, o que pode levar a comportamentos inadequados.

 

Elas são extremamente carinhosas. 

Mito. Não há como generalizar. Cada indivíduo tem as suas características de acordo com a família e o ambiente em que está inserido. O que faz muita gente acreditar que as pessoas com a síndrome são mais carinhosas é o fato de elas serem, muitas vezes, vistas e tratadas como crianças.

 

Atraso no desenvolvimento da linguagem é uma característica.

Verdade. Esse atraso é observado ao longo da infância. Entretanto, não existe regra para saber quando e como a criança falará, pois isso depende de cada indivíduo.

 

O trabalho é indicado para fazer parte da rotina.

Verdade. Pessoas com síndrome de Down não só podem como devem trabalhar. O trabalho colabora para a realização pessoal.

 

A pessoa com síndrome de Down pode ser considerada uma eterna criança.

Mito. A infantilização deve ser evitada desde cedo. Os pais precisam dar exemplo e não permitir que as pessoas em volta tratem seus filhos jovens e adultos como crianças.


Imprimir Enviar a um amigo