Notícia

Repelentes: proteção funciona

13 junho 2012

13 junho 2012

O tempo de proteção varia de acordo com o tipo de mosquito.

 

Porém, há produtos com substâncias tóxicas perigosas para menores de dois anos.

Os repelentes realmente impedem picadas de mosquitos. Mas, em relação ao mosquito da dengue, tem produto que protege pelo dobro do tempo de outro custando até 43% menos.

Esse é o resultado de nossos teste sobre a eficácia dos repelentes brasileiros contra os mosquitos Aedes aegypti (que transmite a dengue) e Culex quinquefasciatus (o mosquito comum, também chamado de pernilongo).

Todos os produtos protegem durante o tempo declarado ou meia hora a mais, exceto por dois deles – que oferecem tal efeito apenas para pernilongos.

Mantenha fora do alcance das crianças

Os rótulos dos produtos testados trazem todas as informações exigidas por lei, mas utilizam os princípios ativos DEET ou IR3535, tóxicos quando ingeridos.

Por isso, mantenha os repelentes fora do alcance das crianças, em especial as que têm menos de dois anos. Se ingerido, ele pode causar queda de pressão, crises convulsivas e coma ao longo da primeira hora após a ingestão.

Também não gostamos de ver apelo infantil em rótulos de produtos que podem causar acidentes domésticos ou de consumo. Por isso, solicitamos à Anvisa mudanças nos rótulos dos repelentes Turma da Mônica, Super Repelex Kids e No Inset Kids.


Imprimir Enviar a um amigo