Notícia

Arma contra imprevistos

02 julho 2007

02 julho 2007

O seguro de acidentes pessoais pode encaixar no perfil de quem não tem, nem pretende fazer um seguro de vida, mas gostaria de se resguardar.

Imprevistos acontecem, e não só com os outros. Considerando a realidade violenta, principalmente dos grandes centros, fica cada vez mais importante se prevenir. Ou seja, contratar um seguro de vida pode ser muito válido, mas, caso você não deseje uma cobertura tão ampla, há uma opção bem mais econômica, o seguro de acidentes pessoais. O seguro é mais indicado a quem tem riscos bem específicos, até porque não cobre morte natural. O caso se aplica, por exemplo, a quem viaja muito de carro a trabalho, mora em local que há muitos seqüestros ou costuma se machucar com freqüência. Este foi o foco de mais um teste econômico que está na D&D no 8 (jun-jul/07).

Para comparar os contratos, foram elaborados dois perfis de consumidor: (I) um homem de 35 anos e (II) uma mulher com 55 anos. A idade não é tão importante quanto no seguro de vida, pois em muitos planos nem há distinção de preços entre os cenários. Afinal, acidente não tem relação com idade. Todas as faixas etárias estão sujeitas ao risco. Em quase todos os serviços não há desconto ou vantagem para contratação em conjunto. Na prática, cada um contrata o seu seguro independentemente.

Em todos os casos, a escolha certa foi definida com base na relação custo-benefício das apólices, ou seja, melhor cobertura com menor preço. Como a maioria das coberturas era semelhante, em geral boa, o maior diferencial foi mesmo o preço. Assim, o plano Acidentes Pessoais Plus, da seguradora Porto Seguro, recebeu o título de a escolha certa.


Imprimir Enviar a um amigo