Notícia

Seguro viagem: não embarque sem contratá-lo

21 fevereiro 2016

21 fevereiro 2016
O mercado oferece boas opções desse serviço, porém, as coberturas e preços podem variar. Saiba o que fazer para economizar até R$ 221 escolhendo a melhor opção de acordo com o seu perfil.

Quando pensamos em viajar, além de arrumar as malas, escolher o destino, passagens e diárias, é importante estar sempre preparado e bem assistido para qualquer problema. O seguro viagem é uma boa alternativa para aproveitar a viagem com tranquilidade e ainda economizar fazendo a escolha certa. 


Reunimos oito dicas fundamentais com os aspectos que você deve considerar na hora da contratação e utilização, para fazer a melhor escolha. Veja a seguir: 

 


1. Observe que os preços podem variar


Os preços das apólices variam muito: a idade do viajante é um dos itens que mais influencia no valor. Afinal, quanto mais velho o segurado, maiores as chances de ficar doente durante a viagem. A duração e o destino também pesam no cálculo. 

 

Locais específicos para turismo de aventura, por exemplo, podem elevar bastante o custo do seguro, já que os riscos de você sofrer um acidente aumentam. Sem falar nas coberturas complementares. Quanto mais proteções sua apólice tiver, mais cara será. 

2. Compare as opções disponíveis no mercado 


Como os preços variam entre uma seguradora e outra você pode economizar até R$221 ao optar pela melhor alternativa. Acesse o comparador da PROTESTE, veja as opções de seguro viagem disponíveis no mercado e descubra o serviço ideal para o seu perfil de viajante

 

COMPARAR SEGURADORAS 


 

3. Seguradoras devem incluir coberturas específicas 


A partir deste mês, as seguradoras têm o dever de incluir pelo menos uma das seguintes coberturas: despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas; traslado do corpo; regresso sanitário; traslado médico; morte natural ou acidental em viagem e invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem. No caso de viagem ao exterior, as quatro primeiras coberturas são obrigatórias.

4. Considere a necessidade de coberturas complementares 


As coberturas complementares não são obrigatórias, porém podem ser muito úteis para cobrir despesas de cancelamento de viagem, necessidade de regresso antecipado e extravio de bagagem, por exemplo. Vale ressaltar que as seguradoras ainda oferecem outras coberturas. 


Portanto, verifique todas as opções para compor seu pacote do modo que desejar. Se você for para o exterior, deve conferir as exigências dos países que pretende visitar. Se pelo menos um deles fizer parte do Tratado de Schengen, você precisará comprovar que tem um seguro viagem com cobertura para despesas médicas com valor mínimo de € 30 mil. 


5. Como fazer a contratação 


A contratação do seguro viagem é fácil e pode ser feita diretamente com a seguradora, por meio de agências de viagens ou companhias de transporte. Outra opção é obtê-lo via cartão de crédito. Algumas operadoras oferecem o serviço gratuitamente a seus clientes e dependentes que compraram as passagens com o cartão. 


6. Tenha atenção ao assinar o contrato 


Antes de assinar, leia o contrato atentamente para conferir se as coberturas descritas estão corretas e confirmar quais são as exclusões (aquilo que não está coberto). Entre as mais comuns, estão ferimentos causados por guerra ou tumulto no destino da viagem, acidentes causados pelo consumo de álcool e drogas ou por imprudência do condutor. Ao embarcar, leve também uma cópia do contrato. 

 

7. A seguradora pode recusar apólice 


A seguradora tem 15 dias para analisar sua proposta, aceitando ou recusando-a. Por isso, providencie sua proteção com antecedência. No caso de recusa, você terá tempo de adquirir outro serviço antes de embarcar, já que a maioria das companhias podem não aceitar a contratação depois de a viagem ter iniciado. 

 

8. Atendimentos não previstos podem ser reembolsados 


Caso precise de atendimento médico
, você ou seus beneficiários podem se dirigir a qualquer clínica ou hospital e apresentar um comprovante do seguro. Depois, o estabelecimento deverá cobrar a seguradora diretamente. Você ainda pode utilizar a rede credenciada da companhia, se houver. 



Se precisar entrar em contato com a seguradora durante a viagem, basta ligar para a central de atendimento (pode ser a cobrar), que deve funcionar, obrigatoriamente, 24 horas, com atendentes que falem português


Caso a empresa não autorize qualquer tipo de atendimento previsto na apólice, você deve pagar a despesa para resolver de imediato o problema. Quando voltar ao Brasil, pode entrar com uma ação judicial de danos morais e materiais para exigir o reembolso e o ressarcimento pelo transtorno que sofreu.

 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo