Notícia

Com a palavra, Helen McCallum

31 julho 2012

31 julho 2012

A Diretora Geral da Consumers International (CI) fala sobre as melhorias e desafios da organização neste momento de crise econômica global.

A diretora da CI, Helen McCallum, visitou nossa sede em São Paulo nesta quarta-feira, dia 01 de agosto, e concedeu uma entrevista para falar sobre as principais conquistas do grupo. A Consumers International é a federação mundial de grupos de consumidores que reúne mais de 240 organizações em 120 países, entre eles a PROTESTE e sua missão é proteger e fortalecer os consumidores em todos os países.

Qual é a sua opinião sobre os testes comparativos?

Os testes comparativos são uma parte vital do trabalho das organizações de consumidores e tem como objetivo oferecer informações precisas sobre produtos e serviços de interesse dos consumidores. Para muitas organizações esta é a principal função e maneira de atrair membros e receitas. Quando feitos corretamente, testes comparativos oferecem um confiável guia imparcial de produtos e serviços - o que é importante em um mundo repleto de publicidade, marketing inteligente e mídias sociais.

Como os testes comparativos podem ser muito caros para serem feitos corretamente, muitos dos nossos membros compartilham resultados e somam os seus recursos para realizar os testes. Esta é uma vantagem de ser parte de um movimento global de direitos do consumidor.

Você acha que tem havido melhorias e o que realmente mudou?

Em termos de responsabilidade social corporativa, temos visto algumas melhorias nos últimos anos. Atualmente grandes empresas multinacionais estão levando a sério os relatórios de responsabilidade social e incorporando a transparência e responsabilidade nos seus negócios.

Mas ainda há um longo caminho a percorrer, pois na realidade muitas grandes empresas não mantêm políticas nobres. Elas afirmam serem responsáveis, mas na realidade as suas políticas não estão seguindo os devidos padrões. Isso é algo que tenho notado ultimamente em nossos trabalhos nas políticas dos mercados e a realidade em relação aos trabalhadores que fornecem os produtos para países em desenvolvimento.

Como você acha que as organizações civis são capazes de se manter ativas e realizar seus objetivos?

Para muitas organizações da sociedade civil há uma luta constante para obter financiamento, reconhecimento e, finalmente, uma mudança positiva. Há muitas pressões sobre as organizações pequenas e é preciso ter um foco intenso. Saber o que você quer alcançar, e não se afastar muito desse objetivo é a melhor maneira de fazer as coisas.

Na Consumers International, nós atuamos para ajudar nossos membros a realizar os seus objetivos de defesa. Como um movimento de grande dimensão como o nosso, é difícil atender às necessidades de todo mundo o tempo todo, mas acreditamos que com a nossa prioridade em temas como alimentos, serviços financeiros, justiça do consumidor e direitos digitais, somos capazes de dar a todos os membros subsídios para que possam fazer campanhas em beneficio do consumidor.

Quais são as principais conquistas das organizações de consumidores?


Como consumidores o nosso dinheiro fala, mas a nossa voz muitas vezes não é ouvida. Grupos de direitos do consumidor podem dar voz aos consumidores para garantir que não sejam ignorados por políticos e empresas. Esta é a coisa mais importante que uma organização de consumidores pode fazer.

Leia a segunda parte da entrevista abaixo em Informação relacionada.


Imprimir Enviar a um amigo