Notícia

Conar adia avaliação de publicidade

27 julho 2010

27 julho 2010

Será ouvido anunciante antes de avaliar pedido da PROTESTE para tirar do ar informação de que Potinho de caldo Knorr é natural. Há substâncias artificiais.

Será ouvido anunciante antes de avaliar pedido da PROTESTE para tirar do ar informação de que Potinho de caldo Knorr é natural. Há substâncias artificiais.

Embora vislumbre a possibilidade de o consumidor ser levado a erro sobre as reais características do novo potinho de caldo knorr na publicidade sobre o produto, o Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) adiou o exame do pedido de liminar da PROTESTE para retirada do comercial do ar.

Para a PROTESTE o anuncio caracteriza-se como propaganda enganosa por anunciar como natural um produto que tem aditivos químicos, e, ao ser veiculada nos veículos de comunicação do país, inclusive em “horário nobre”, pode lesar os consumidores, ao induzir ao erro. O direito a informação adequada e clara sobre o produto é assegurado pelo Código de Defesa do Consumidor.

Na propaganda o chef Alex Atalla diz: “eu cozinho para pessoas com os paladares mais exigentes. A pressão não é fácil. O segredo de um prato tá no caldo. Ele é o coração da receita. Dá uma olhada: novo potinho de caldo Knorr, igualzinho ao feito em casa. Aqui tudo é natural, cozido bem devagarzinho. Nem aqui a crítica me dá folga. Novo Potinho de Caldo Knorr, único e original, como feito em casa”.

Uma variação do tradicional caldo industrializado, vendido em tabletes e em pó, o produto não pode ser comparado a um caldo feito em casa. Na análise do rótulo e da lista de ingredientes a PROTESTE identificou uma série de componentes artificiais, como realçadores de sabor, aromatizante, espessantes, acidulante e corantes.

Pela publicidade um consumidor desavisado poderia entender que não foi adicionado nenhum aditivo químico ao produto. Afinal, um caldo “feito em casa” não tem nenhuma destas substâncias.


Imprimir Enviar a um amigo