Notícia

PROTESTE encontra falhas em parques de diversão

08 setembro 2016
parque de diversões

08 setembro 2016
Brinquedos com cintos de segurança arrebentados e fios desencapados soltos pelo chão são alguns dos problemas que observamos. Todo o cuidado é pouco nesses locais, sobretudo com as crianças.

Os parques que visitamos nos meses de junho e julho são itinerantes. Nesses casos, as chances de terem falhas são maiores, já que precisam ser montados e desmontados com frequência para mudar sua localização. Ao visitarmos quatro deles em três estados – dois no Rio de Janeiro, um em Minas Gerais e outro em Goiás –, percebemos problemas que podem transformar sua diversão em um grande pesadelo.

Em todos os estabelecimentos, vimos pedaços de madeira sendo usados como base de brinquedos ou para nivelar passarelas. Observamos que alguns equipamentos tinham parafusos soltos ou espaços vazios onde essas peças deveriam estar.

No Playcity, do Shopping Grande Rio, em São João de Meriti (RJ), os trilhos do brinquedo infantil Trem de Máquinas tinham pedaços de madeira soltos, além de dormentes descalçados ou desbalanceados

trilhos

Brinquedo infantil Trem de Máquinas no Playcity do Shopping Grande Rio

No Playcity Nova América, no Rio de Janeiro (RJ), os cabos elétricos estavam protegidos com uma camada de concreto, mas eram  tão altos que muitas pessoas tropeçavam neles. Além disso, sua montanha-russa tinha somente uma barra de proteção como forma de contenção, que deve ser compartilhada por duas pessoas. 

cabos

Cabos elétricos no Playcity do Nova América

Gambiarras para todo o lado

No Complexo Viva El Mundi, em Goiânia, encontramos equipamentos com cintos de segurança arrebentados e ausência de parafusos, o que pode acarretar problemas de estabilidade nos brinquedos e colocar crianças e adultos em risco. Vimos também muitas gambiarras, como cabos e conectores sem proteção. Identificamos, ainda, um possível "gato" na rede elétrica.

gambiarras

Gambiarras no Complexo Viva El Mundi

Em caso de incêndio, é possível que o fogo se alastre facilmente, já que alguns dos parques não mantêm extintores próximos a todas as atrações ou em locais de difícil acesso, caso do Viva El Mundi. 

Brinquedos enferrujados

No Parque Paris, montado na 80ª Exposição de Leopoldina, em Minas Gerais, encontramos um cenário preocupante. Percebemos peças que descolavam dos brinquedos, correias sem proteção e equipamentos enferrujados. Além disso, nem todos os carrinhos do brinquedo infantil Flintstone tinham cinto de segurança ou proteção nas laterais. Portanto, há o risco de uma criança sair do brinquedo em movimento. Nesse estabelecimento, também notamos fios desencapados e um gerador de energia totalmente enferrujado.

 brinquedos enferrujados

Brinquedos enferrujados no Parque Paris

A sinalização em parques é fundamental para informar o limite de idade, a altura e as possíveis restrições de uso, por exemplo. Mas nem todos apresentam avisos desse tipo. Além disso, são poucos os parques de diversão que possuem sinalização de rotas de fuga. E, quando elas existem, levam a locais sem saída. Foi o que aconteceu conosco no Playcity Nova América, Parque Paris e Viva El Mundi.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo