Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

PROTESTE denuncia e Ingresso Rápido é autuada pelo Procon
Associação constatou uma série de irregularidades, referentes às taxas de conveniência 
05 julho 2017 |
ingresso-rapido
No último mês, a PROTESTE – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor conquistou mais uma vitória. Dessa vez, em relação à denúncia que fez ao Procon-SP contra a Ingresso Rápido, em setembro de 2015. Na ocasião, a associação constatou uma série de irregularidades, relacionada às taxas de conveniência, em oito “ticketeiras” (revendedoras de ingressos). Pediu, então, fiscalização e adoção de providências cabíveis para as ilegalidades encontradas e órgão lavrou um auto de infração contra a empresa. 

Consumidor em show

Dentre as irregularidades apresentadas, a Ingresso Rápido cobra taxa de conveniência de 18% sobre o valor de cada ticket, mas não oferece de fato o serviço, uma vez que o consumidor precisa retirar o bilhete no local do evento. Ou seja, não dá nenhuma “conveniência” para a pessoa que está adquirindo o produto e ainda cobra pelo serviço. 
A empresa também estipula que o consumidor só poderá cancelar a transação até 48 horas antes do evento, em um flagrante ao Código de Defesa do Consumidor (CDC), que determina o prazo de sete dias para o arrependimento em compras a distância. E a ilegalidade não para aí.  O Ingresso Rápido também deixa de ressarcir os valores pagos pelo bilhete, em caso de cancelamento do evento por parte da produção.  O que, segundo o CDC, é considerado uma prática abusiva, já que, neste caso, o consumidor não é culpado pelo cancelamento; portanto, não pode arcar com o encargo.

Ticket na balada

Tem mais! No momento de efetuar a compra, a Ingresso Rápido não disponibiliza nenhuma informação visível de que o consumidor será taxado. Ao visualizar o show/evento, o comprador apenas tem acesso, primeiramente, ao valor do ingresso, descobrindo a taxa de conveniência somente depois. Detalhe: a revendedora de tickets informa que o comprador será taxado no ícone “políticas”, disponibilizado do lado inferior esquerdo da página. Ou seja, a informação está mal localizada, uma vez que deveria constar junto ao valor do ingresso. E vale lembrar que o CDC determina como o direito básico do consumidor a informação clara, adequada sobre os diferentes produtos e serviços – o que obviamente não está sendo cumprido. 
A PROTESTE continuará lutando contra as práticas abusivas nas relações de consumo, mas você pode (e deve) fazer a sua parte. Não caia na falsa facilidade, acompanhada de taxas de conveniência com valores exorbitantes – nem na de "impressão” e de “retirada de ingresso na bilheteria”. Denuncie!
 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

minimo-cartao
limpe-seu-nome
img-plano-saude1
plano-de-celular

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.