Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

PROTESTE pede providências ao MP sobre acidente com criança em balanço
Em parceria com a organização Criança Segura, a PROTESTE realiza vistoria em parques e praças públicas
20 dezembro 2017 |
crianca-segura

Nesta quarta-feira (20), a PROTESTE, em conjunto com a organização Criança Segura, enviou ao Ministério Público um oficio pedindo providências referente ao acidente que resultou a morte de uma menina de nove anos em um parquinho em Poá (SP). A madeira que sustentava o balanço em que a criança estava caiu e atingiu sua cabeça.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, de 2012 a 2015, foram registradas 1.842 internações e 10 mortes de crianças de zero a 14 anos em decorrência de quedas envolvendo playgrounds.

Em outubro do ano passado, a PROTESTE e a Criança Segura realizaram vistorias para avaliar as condições de segurança dos brinquedos de parquinhos de 12 praças e parques públicos do Rio de Janeiro e São Paulo e, entre os problemas mais comuns encontrados, não só por falta de manutenção, mas por projetos mal formulados foram:

  • Falta de proteção em determinados brinquedos que pode gerar queda;
  • Partes rotatórias desprotegidas;
  • Falta de material no chão para atenuar queda;
  • Gangorras e balanços com afrouxamento;
  • Brinquedos de plástico quebrados e os de madeira em péssimas condições de uso, além de materiais que esquentam e podem queimar a criança em dias com temperatura mais elevada;
  • Equipamentos com partes enferrujadas e mal soldadas, com pontas agudas e afiadas; pintura descolando que pode gerar intoxicação, brinquedos mal projetados que acumulam água. 

Em função disto, o Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou um inquérito civil para apurar a culpa dos causadores dos resultados da pesquisa.

Para a PROTESTE é lamentável que acidentes como o ocorrido em Poá, que poderia ter sido evitado com uma vistoria prévia, continuem acontecendo. 

 -

Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

azeite-ministerio
fidelidade-tam
mensalidade-escolar
azeite-teste-rotulo

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.