Notícia

Saiba como agilizar suas compras de Natal

24 novembro 2010

24 novembro 2010

Anote tudo o que precisa fazer e comprar para não perder tempo, dinheiro ou mesmo um amigo.

As compras de Natal não precisam ser tumultuadas. Para fugir da agitação dos últimos dias, planeje tudo. Faça uma lista com os nomes de quem você quer presentear, para não esquecer ninguém, e com as idéias que tiver do que comprar.

Se você não tem um orçamento folgado, reserve parte do 13º salário para o pagamento de impostos cobrados logo nos primeiros meses do ano, como o IPTU, IPVA, matrícula e material escolar.

Deixe espaço ao lado para mudar de opinião, conforme o que encontrar.

Veja mais dicas:

  • Se puder, vá às lojas em horários de menor movimento.
  • Identifique boas opções de presentes coringa (CDs, porta-retratos, blocos, agendas...) e avalie a possibilidade de fazer uma substituição em sua lista.
  • Cestas de Natal são boas opções de presente para uma grande gama de pessoas, embora não possibilitem muita economia por quem as compra.
  • Roupas para os amigos e parentes mais próximos são boas escolhas.
  • Presentes de mercearia também são muito apreciados, especialmente se têm origem caseira ou artesanal.
  • Os bazares beneficentes de Natal costumam ser boas opções também para quem aderiu ao Natal das lembrancinhas. Você encontra produtos mais baratos, personalizados e ainda contribui para uma causa social.
  • Não se esqueça de que, embora a maioria dos presentes já possa ser adquirido embrulhado para presente, sempre é bom ter papel, fita adesiva e laços para enfeitar alguns embrulhos.
  • Se seu talento de empacotador é limitado, prefira saquinhos laminados de vários tamanhos e laços de fita.
  • Não recorra ao comércio informal atraído pelo preço baixo. As mercadorias não têm nota fiscal e, assim, não têm garantia. Elas podem ser falsificadas e até vir a colocar sua saúde em risco.
  • Se decidir presentear um serviço, peça referências de quem já o tenha usado e verifique se a empresa ou o prestador tem reclamações nos órgãos de defesa do consumidor.

Imprimir Enviar a um amigo