Notícia

Brinquedos são um caso à parte

24 novembro 2010

24 novembro 2010

Leve em consideração, além do preço, segurança, adaptação e estímulo educacional.

A felicidade da criança é o que conta, mas a segurança, a adequação, o estímulo educacional e o preço também somam. Veja abaixo os detalhes aos quais você deve estar atento na hora de comprar o presente.

  • Defina o que vai comprar, levando em conta o seu orçamento e a segurança da criança, mas também o gosto, a idade e as limitações dela. Se puder, deixe a criança participar da escolha.
  • Prefira brinquedos educativos, capazes de estimular a coordenação motora, a inteligência, a afetividade, a criatividade e a socialização.
  • Verifique se há mecanismo de funcionamento e teste antes (fricção, bateria, pilha). Se adquirir brinquedo que funcione com pilhas, não se esqueça de comprá-las.
  • Em São Paulo, a Lei Estadual nº 8.124/92 determina que as lojas mantenham amostras de jogos e brinquedos abertos para que possam ser testados. Veja se o mesmo ocorre em seu Estado e exija esse direito.
  • Devem constar da embalagem do brinquedo:
    • composição;
    • características;
    • instruções de uso;
    • a faixa etária ou a idade a que se destina;
    • a identificação do fabricante (nome, CNPJ, endereço);
    • o número de peças ou regras de montagem, quando for o caso;
    • as instruções de uso e de montagem (quando for o caso);
    • selo de segurança fornecido pelo Inmetro,
  • Os brinquedos para crianças de até três anos devem apresentar a frase: "Recomendável para crianças de até 3 anos".
  • Exija sempre a nota fiscal. Faça constar, na nota, a data da entrega, conforme o combinado, e os dados do produto que está comprando.
  • No final das compras, mesmo que encontre o que procura, compare preços e condições de pagamento. Se puder, leve os anúncios para garantir a compra a preço de oferta.

Imprimir Enviar a um amigo