Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Saiba o que muda no seguro desemprego após reforma trabalhista
A reforma trabalhista, que entra em vigor a partir de novembro, tem despertado muitas dúvidas na população sobre o que realmente vai afetar os direitos dos trabalhadores. 
13 outubro 2017 |
seguro-desemprego

A reforma trabalhista, que entra em vigor a partir de novembro, tem despertado muitas dúvidas na população sobre o que realmente vai afetar os direitos dos trabalhadores

Através dos canais de comunicação da PROTESTE, temos recebidos diversas questões de nossos associados sobre um ponto muito discutido: seguro desemprego.

O seguro desemprego vai acabar?

O seguro desemprego é um benefício que garante auxílio financeiro por um determinado período, para ajudar o trabalhador desempregado (dispensado sem justa causa) a pagar suas despesas, enquanto procura outro trabalho.  O seguro desemprego é pago de três a cinco parcelas, dependendo do tempo de trabalho e quantidade de resgate anterior. 

Antes da reforma trabalhista, três formas de desligamento eram as mais comuns: demissão sem justa causa, demissão por justa causa e pedido de demissão pelo empregado. Com a reforma, mais uma forma de desligamento poderá ser adotada: a demissão negociada.

Nessa negociação o empregado que quer se desligar da empresa, mas não quer deixar de sacar seu FGTS, poderá negociar com o empregador o seu desligamento. Caso seja aceito, o empregado terá os seguintes direitos:

tabela-seguro-desemprego

É importante destacar que, por estar na Constituição Federal, o seguro desemprego é um direito que não poderá ser excluído, nem por vontade do empregador, nem por convenção ou acordo coletivo.  

Clique aqui e saiba qual é o valor que você tem a receber de seguro desemprego.

 

Leia também

cartão-santander
plano-de-celular
onde-comprar-materiais-de-construcao-barato

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.