Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Ceia de Natal carioca: confira os resultados da pesquisa de preços da PROTESTE

O pêssego em caldas apresentou variação de 286%, de acordo com o estudo

22 dezembro 2021 |

Com mais um ano chegando ao fim, o consumidor se aproxima de mais uma data especial – o Natal! Além da compra dos presentes, é o momento também da ida ao supermercado para a aquisição dos itens para a ceia. E, para ajudar o consumidor a realizar decisões econômicas, a PROTESTE divulga nessa terça-feira (21) os resultados de Estudo de Preços, feito no dia 1 até 7 de dezembro, através da visita de 50 lojas: supermercados, hipermercados e atacadistas na Zona Norte, Oeste e Sul do Rio de Janeiro. No geral, foram 456 preços coletados, envolvendo 12 itens sem marca específica com destaque nesse período especial:

PRODUTO

PESO/ QTD

MARCA

Azeite Extra Virgem

500 ml

Mais barato

Bacalhau Salgado Porto Morhua

1Kg

Mais barato

Castanha portuguesa

1Kg

Mais barato

Damasco seco

1Kg

Mais barato

Nozes com casca

1Kg

Mais barato

Panetone

1 unidade

Mais barato

Pão de rabanada

1Kg

Mais barato

Pernil Desossado Temperado

1Kg

Mais barato

Peru Temperado Congelado

1Kg

Mais barato

Pêssego em Calda

400 gr ( 1 unidade)

Mais barato

Tender Mini

1Kg

Mais barato

Chester Congelado

1Kg

Mais barato

Saiba a variação percentual de cada produto

O produto com maior diferença de valor foi o pêssego em calda, 286%. Na cidade carioca, o preço mínimo encontrado foi de R$7,23, máximo de R$27,90 e um valor médio foi de R$11,18. O segundo produto com maior variação foi o Chester Congelado, apresentando uma variação de 212%. Para esse item, o menor preço identificado foi de R$ 12,97/kg, máximo de R$ 40,48/Kg e médio de R$ 21,97/kg.

Em contrapartida, a castanha portuguesa apresentou a menor variação, ainda considerada alta, correspondente a 46%. Os preços encontrados foram de R$ 47,80/Kg a R$69,97/Kg.

O levantamento também destacou que foi possível identificar as lojas mais baratas e caras, por região, para cada produto pesquisado. 

Para o pêssego em calda, a maior variação encontrada foi na zona oeste, 211%, com os preços variando de R$8,98 no Carrefour da Avenida das Américas, até R$27,90 no zona sul da Érico Veríssimo. Os dois estabelecimentos ficam a cerca de 7km um do outro e a ida nos dois pode proporcionar uma economia de R$18,92. Já a menor variação foi de 73%, encontrada na Zona Norte, entre dois estabelecimentos Extra. Neste caso, a economia foi menor, de R$5,26, mas a distância entre eles também foi menor, de menos de 1,5km ou 20 minutos de caminhada.

No caso do panetone tradicional, a maior diferença encontrada foi na zona norte, o supermercado Extra teve o menor preço, R$7,99, enquanto no SuperPrix, o custo de um panetone era de R$23,90. Com esta diferença e mais alguns centavos (R$0,07), é possível comprar 2 panetones, tendo em vista que a economia gerada seria de R$15,91. 

Para o Azeite, a maior variação encontrada foi de 68% nas zonas norte e oeste da cidade, enquanto que a menor foi 56%, na zona sul.

Verificamos que o peru temperado congelado tem preço médio por volta R$ 26,39. Mesmo assim, ainda foram encontrados preços superiores em estabelecimentos localizados nas mesmas regiões. O consumidor que optar por comprar em um dos locais mais baratos encontrados na Região Norte, como o Premium, localizado na Rua Boulevard 28 de setembro, ao invés do supermercado Campeão, localizado na mesma rua, vai ter uma economia de R$2,99 por quilo. A economia será em torno de R$ 8,97, visto que o peso desta ave é de, no mínimo, 3 quilos e a distância entre os dois estabelecimentos é de 110 metros. 

Na zona sul o quilo do peru mais caro foi de R$ 34,50 encontrado no mercado Princesa, enquanto o mais barato foi de R$21,99. No caso do Bacalhau, é possível comprar dois quilos no local mais barato ao invés de um no mais caro e ainda ficar com um troco em todas as regiões pesquisadas. O preço do quilo mais caro encontrado nas zonas norte, sul e oeste, é o dobro do mais barato, a variação foi superior a 100% em todas as regiões. 

A castanha portuguesa é outro item muito comum no natal e teve uma variação de 36% na zona norte e 46% na oeste. Na zona sul ela não foi encontrada com regularidade e, por esta razão, na apresentou diferenças. As variações podem até ser consideradas pequenas em percentual, porém vale lembrar que a diferença na zona oeste do local mais barato para o mais caro é de R$ 22,17 por quilo, portanto quanto mais o consumidor comprar deste produto maior vai ser a economia.

A variação mais alta do quilo do damasco seco foi de 116%, na zona oeste da cidade. O menor preço encontrado foi de R$ 56,98, enquanto o maior foi de R$ 123,20. A partir disso, o consumidor pode comprar 2kg do produto no Guanabara da R. Felipe Cardoso pelo preço que pagaria em 1kg tanto no Guanabara da Av das Américas quanto no da R. Aurélio Figueiredo.

Em relação às nozes com casca, a maior variação também foi encontrada na zona sul. O mercado Zona Sul apresentou um preço de R$ 24,93, o quilo, enquanto no Campeão, o preço foi de R$ 48,90. Mais uma vez, quase o dobro do preço do quilo, caso o consumidor opte por comprar sem que haja uma pesquisa anteriormente. 

Nesse período de festas, o tender é um dos itens mais presentes na mesa dos brasileiros e, assim como os outros produtos, forma encontradas variações em todas as regiões. A maior foi na Zona Oeste, de 142%. Desta forma, se o consumidor optar por comprar no local mais barato pode economizar até R$ 4,70 reais por cada 100 gramas do produto.

Uma boa pesquisa é a palavra-chave 

Daniel Barros, pesquisador da PROTESTE, destaca como é importante pesquisar os valores mesmo em localidades próximas. Ele ressalta que o consumidor deve se atentar, também, a outras marcas: “O maior desafio nesta pesquisa é a diversidade de marcas e com preços distintos e o consumidor que não se apega a uma marca, possui mais chance de economizar nesta data” aconselhou Barros para as compras da ceia de Natal. 

Veja outras dicas para economizar: 

- Escreva uma lista de compras antes de sair de casa;
- Não realize as compras com fome, pois corre o risco de comprar mais do que o necessário;
- Opte por deixar as crianças em casa, se for possível; 
- Utilize uma calculadora, conferindo se as compras estão de acordo com o limite; 
- Verifique promoções em sites e aplicativos; 
- Faça download do aplicativo do supermercado pois a plataforma pode ter descontos. 

Quer economizar também nas compras de presentes? Leia a matéria completa aqui

Server Error

Leia também

Server Error
Server Error
Server Error
Server Error

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.