Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Energia ficará mais cara nos horários de pico
Com “tarifa branca”, o consumo fora dos horários de pico poderá custar menos, mas, é preciso simular seu perfil de uso para avaliar custo benefício dessa modalidade.
14 setembro 2016 |
tabela luz

Neste mês, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou as regras para a aplicação da chamada "tarifa branca". Na prática, isso significa que a parir de 2018 será possível pagar menos pela energia consumida fora do horário de pico de consumo, como o fim de tarde e início da noite dos dias de semana. 

Na consulta pública sobre as regras para a aplicação da tarifa, em 2014, o temor da PROTESTE era que a medida não surtisse efeito e não resultasse na economia de energia desejada e, ao contrário, acarretasse aumento tarifário, por conta da garantia de equilíbrio econômico financeiro dos contratos. 

Tarifa precisa oferecer garantias de eficiência 

Em 2013 a PROTESTE pediu que antes da implantação da medida fosse feito estudo de impacto regulatório prévio para se garantir a eficiência e utilidade dessa tarifa diferenciada. E destacou a importância de os sites das distribuidoras trazerem informações sobre o perfil de consumo dos consumidores. Além de disponibilizarem simuladores para o consumidor poder calcular e avaliar se valeria a pena aderir a essa nova modalidade de tarifa. 

Na regulamentação foi determinado também que a adesão ao novo sistema de tarifação seja precedida de amplo esclarecimento das regras junto aos consumidores, por meio de campanhas e com no mínimo 6 meses antes da implantação da nova modalidade tarifária.

Para adotar a nova tarifa, as empresas terão de trocar os aparelhos medidores. Na avaliação da PROTESTE é difícil calcular a relação custo benefício sem saber o valor dos equipamentos, o impacto econômico para as distribuidoras e o número de consumidores que podem aderir ao novo modelo.

Tarifa branca terá três classificações 

De acordo com a regulamentação nos dias úteis, o valor tarifa branca vai variar em três horários: ponta, intermediário e fora de ponta. Na ponta e no intermediário, a energia será mais cara. Fora de ponta, mais barata. Nos feriados nacionais e nos finais de semana, o valor será sempre fora de ponta. Os períodos horários de ponta, intermediário e fora ponta são homologados pela Aneel nas revisões tarifárias periódicas de cada distribuidora.

Para ter certeza do seu perfil, será preciso comparar suas contas com a aplicação das duas tarifas. Isso é possível pela simulação com base nos hábitos de consumo pelos equipamentos domésticos ou com o uso de um medidor, aprovado pelo Inmetro, que consiga registrar o consumo conforme os horários em que a energia elétrica é utilizada.


Para aderir à tarifa branca, é preciso formalizar sua opção junto à distribuidora. Quem não optar por essa modalidade continuará sendo faturado pelo sistema atual.

Gostou deste conteúdo? CADASTRE-SE agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!

Leia também

video-destaque-home
economia-eletrodomesticos-1
bf-dicas
minimo-cartao

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.