Notícia

Novo reajuste faz conta de luz subir ainda mais

06 outubro 2015

06 outubro 2015

Com reajuste de até 8%, conta de energia elétrica tem mais uma alta que entrará em vigor ainda este ano. Saiba como reforçar as medidas de economia e diminuir o impacto da alta no orçamento mensal.


É preciso reforçar as medidas de economia de energia, pois os aumentos não cessam e impactam cada vez mais no orçamento. Agora como os grandes consumidores de energia, as indústrias, conseguiram se livrar na justiça de pagar uma conta, que é a de desenvolvimento energético (CDE), esses gastos serão transferidos para os consumidores residenciais, com mais um aumento, de até 8%.


Até o fim do ano serão R$ 800 milhões repassados aos consumidores, além do percentual desses encargos que já vem na conta todo mês. Onde não tem indústria, não vai ter reajuste extra. Ele será cobrado por 39 das 64 concessionárias de energia. A PROTESTE está enviando ofício à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) lamentando que sejam os consumidores a arcar com mais este custo


Aumento entra em vigor já em 2015


O aumento virá em contas já deste ano para empresas que ainda farão o reajuste anual, caso da Light, do Rio de Janeiro, que vai ter correção em novembro. Mas a Aneel não descarta a possibilidade de outras concessionárias pedirem para antecipar a nova cobrança.


“Se essa diferença for impactante para ela e interferir no equilíbrio econômico financeiro, a Aneel tem que analisar e eventualmente conceder a revisão tarifária extraordinária”, explica o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino. 


Consumidor paga conta que seria de empresas


O rombo é decorrente de uma decisão liminar da Justiça que permitiu a um grupo de cerca de 50 grandes empresas não pagar parte dos custos que bancam subsídios ao setor elétrico, a chamada CDE (Conta de Desenvolvimento Energético). Eles foram representados pela Abrace (Associação Brasileira de Grandes Consumidores de Industriais de Energia e de Consumidores Livres). 


As empresas alegam que os tais encargos representavam até 25% da conta de energia das indústrias e questiona os critérios da cobrança, que deveria servir para melhorar o setor, mas que serve também para bancar programas sociais e custos de obras questionadas na Operação Lava Jato. 


A Abrace defende que para evitar a judicialização do assunto por outros consumidores, a Agência deveria se antecipar e sanear a CDE, fixada em mais de R$ 18 bilhões a partir de tabelas de custos apresentada pela Eletrobrás e não auditadas com profundidade.




Com mais um aumento será preciso reforçar as medidas de economia. Veja dicas fundamentais para poupar energia elétrica em casa: 


  • Desligue da tomada o que não estiver em uso. Aparelhos em stand-by representam entre 10 e 15% do consumo de uma residência; 
  • Para usar o ferro de passar, junte a maior quantidade de roupa possível e passe todas de uma vez;
  • Evite o abre-fecha da geladeira;
  • Tomadas quentes são sinônimo de desperdício. Por isso, evite o uso de benjamins. E não esqueça o carregador de celular na tomada após a carga estar completa;
  • Mantenha janelas e portas fechadas quando o ar condicionado estiver funcionando;
  • Apague as lâmpadas de ambientes desocupados. Use iluminação dirigida (spots) para leitura, trabalhos manuais, etc; 
  • Use lâmpadas fluorescentes ou de led; 
  • Não deixe os acessórios do computador, como impressora e estabilizador, ligados sem necessidade. Desligue o computador sempre que for ficar mais de 2 horas sem utilizá-lo e o monitor por até quinze minutos;
  • Instale a geladeira em local bem ventilado, longe do fogão e de áreas expostas ao sol. Deixe um espaço mínimo de 15 cm dos lados, acima e no fundo do aparelho, em caso de instalação entre armários e paredes; 
  • Evite dormir com a televisão ligada. Se ela tiver recursos de programação, utilize o timer para ela desligar sozinha;
  • Reduza o tempo do banho;
  • Para subir um andar ou descer dois, utilize a escada;
  • Nem sempre faz calor suficiente para ligar o ar condicionado. Às vezes um ventilador de teto é o ideal para refrescar o ambiente gastando 90% menos energia;
  • Combinar o uso dos dois também é uma saída. Regule seu ar condicionado para o mínimo e ligue o ventilador de teto;
  • Limite o uso da máquina de lavar a no máximo duas vezes por semana para economizar água e energia.  Selecione os modos de lavagem rápida e de menor consumo de água;
  • Ao sair de casa por período mais longo, desligue todos os equipamentos da tomada.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo