Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

TV por assinatura: o que fazer quando aparelhos não são retirados após cancelamento?
21 junho 2018 |
tv-po-assinatura-cancelamento

Ao solicitar o cancelamento do serviço de TV por assinatura, não há mais motivos para os equipamentos permanecerem na casa dos consumidores.

Porém, após muita insistência, inúmeros agendamentos são feitos até que esses equipamentos sejam, realmente, retirados. 

Descubra qual é o plano de TV por assinatura ideal para o seu perfil

Entretanto, o que muitos consumidores não sabem é que o artigo 19, §§ 5º a 8º, da Resolução nº 488/2007, da Anatel, determina que a prestadora deve providenciar a retirada dos equipamentos, em data acordada com o consumidor e no endereço do assinante, não podendo exceder a 30 dias contados da solicitação de desativação do serviço. 

Sendo assim, durante o período em que estiver de posse dos equipamentos, o consumidor é o responsável por manter a guarda e integridade destes. Porém, caso a empresa não recolha o equipamento em 30 dias, a responsabilidade não será mais do consumidor. 

Fique atento:

A retirada pode ser feita pela prestadora ou por serviço autorizado;
A empresa não pode cobrar para retirar os equipamentos;
O consumidor pode optar por entregar os aparelhos em local indicado pela prestadora;
Em todas as hipóteses, deve ser fornecido um recibo declarando o estado dos aparelhos.

O que fazer?

Caso tenha problemas para conseguir se desfazer dos aparelhos da sua antiga TV por assinatura, fique atento ao prazo e argumente sobre até onde vai sua responsabilidade.

Faça também uma reclamação no canal Reclame ou ligue para 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou 4003-3907 (de fixo ou celular) e conte com nosso Serviço de Defesa do Consumidor. 

Leia também

shutterstock_1011076714
cerveja-teste
lavar-arroz
smartphone-idosos

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.