Notícia

PROTESTE pede ação contra canais pagos

30 julho 2007

30 julho 2007

Aumentaram queixas de má prestação de serviço,  demora no atendimento pelo telefone, pacotes impostos e de bloqueio de canais contratados.

A PROTESTE encaminhou para a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e para o Ministério Público pedido de investigação para barrar a prática de má prestação de serviço por parte das empresas de TV por assinatura.

De acordo com as reclamações dos associados que tem aumentado, o consumidor perde muito tempo na linha e não consegue atendimento rápido, nem eficiente, por telefone. Há impacto no custo da conta do telefone, principalmente, após a conversão do pulso para minuto, já que não é disponibilizado linha 0800 pelo Serviço de Atendimento ao Assinante.

Cobrança indevida de serviços, falhas no atendimento prestado via telefone e no reparo de defeitos, interrupção freqüente de sinal, além do excesso de comerciais e reprises, incluem-se entre as queixas. Demora na instalação dos equipamentos e na prestação de assistência técnica, assim como bloqueio de canais contratados também têm gerado reclamações.

A falta de concorrência no setor, por conta das fusões ocorridas recentemente, e a troca do sinal analógico pelo digital, estão entre as causas da má prestação de serviços no setor. A PROTESTE orienta os cerca de 5 milhões de clientes do setor a exigir que a Anatel faça o setor cumprir os direitos dos usuários, com melhoria dos serviços.

O consumidor deve reclamar, formalmente, também nas entidades de defesa do consumidor. Como a contratação é feita basicamente por telefone há dificuldade na obtenção do contrato. No contato com as empresas, se for atendido por telefone, é importante registrar o tempo que ficar pendurado na linha e anotar o dia, o horário, o nome do atendente e pedir o número do protocolo da ligação. Os e-mails devem ser arquivados e, no caso de envio cartas, estas devem ser postadas com Aviso de Recebimento – AR para ter comprovantes.


Imprimir Enviar a um amigo