Notícia

Cuidado ao trocar plano telefônico fixo

06 agosto 2007

06 agosto 2007

Planos próprios das operadoras podem confundir, se for preciso trocar o plano obrigatório de pulso para minuto.

Agora que as operadoras telefônicas podem oferecer seus planos alternativos próprios de telefonia fixa, o consumidor precisa redobrar sua atenção. Se a primeira conta após a conversão da tarifação de pulso para minuto for muito elevada, o consumidor pode ser induzido a erro, e contratar um plano alternativo da operadora, sem querer. O alerta é da PROTESTE Associação Brasileira de Defesa do Consumidor.

Se essa prática lesiva aos interesses dos usuários de telefonia fixa for comprovada, a PROTESTE solicitará à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), por mais três meses, a proibição da oferta de planos próprios.

O objetivo é evitar a confusão do usuário, que, além de ter de avaliar seu perfil e optar por um dos dois planos obrigatórios, ainda será bombardeado pela propaganda dos planos próprios das operadoras. Essa dificuldade poderá ser agravada pela vigência das novas tarifas, a partir de setembro próximo.

Os consumidores que já começaram a receber as primeiras contas de telefone fixo tarifadas em minutos se assustaram com o valor a pagar, principalmente para quem escolheu o plano sem levar em conta o perfil de consumo.

A PROTESTE recomenda que solicitem, formalmente, a conta detalhada (gratuita) à operadora, para avaliar o perfil de consumo. E, se for o caso, trocar o plano escolhido inicialmente.

Dessa forma, os usuários poderão analisar a duração de suas chamadas, e avaliar qual a melhor opção fundamental. É fundamental checar o quanto gastam agora, em comparação ao valor anteriormente pago. Só assim, saberão se estão no plano adequado.

Por exemplo, quem escolheu o plano básico, e gastou muito mais do que a média anterior, deve optar pelo Plano Alternativo de oferta Obrigatória (Pasoo). Há dois planos obrigatórios de minutos.

Quem não optou por um dos planos, foi vinculado automaticamente ao Básico, considerado ideal para quem fala menos de três minutos em cada ligação. O outro, o Plano Alternativo de Oferta Obrigatória (Pasoo), é indicado para quem fala mais de três minutos em cada chamada. O cliente pode, a qualquer momento, solicitar a mudança de plano.

Em Jundiaí (SP), a Telefônica já entregou as faturas aos primeiros clientes, e as contas ficaram até 70% mais caras em relação às cobradas em pulsos, segundo queixas que chegaram ao Procon local. O cliente deve usar o telefone com o máximo de cautela nesse período de conversão. E alertar seus familiares sobre isso, pois, geralmente, quem paga a conta é quem menos usa o telefone, porque passa o dia  fora de casa, no trabalho.


Imprimir Enviar a um amigo