Notícia

Velocidade Internet no Brasil está fora da lei

03 março 2015
velocidade

03 março 2015

Teste sua velocidade de Internet, participe da nossa campanha e conte com o apoio da PROTESTE em mais esta luta!

A PROTESTE testou e detectou, através de testes com consumidores, que a velocidade da Internet banda larga no Brasil frequentemente fica abaixo do esperado.

Por isso, a PROTESTE fez uma parceria com o website “Minha Conexão” para incentivar os consumidores a medirem sua velocidade de Internet. E caso o serviço contratado esteja fora do padrão previsto no regulamento da Anatel, a PROTESTE vai ajudar todos os consumidores a lutar por uma compensação financeira.



Antes de medir a velocidade, feche antes todos os programas e aplicativos que estão sendo utilizados para minimizar a interferência durante o processo. 

Entenda a legislação da velocidade de Internet no Brasil

A lei em vigor desde 2014 define que a velocidade instantânea de conexão entregue para o consumidor deve ser no mínimo 40% do contratado. A velocidade média, por sua vez, deve oferecer pelo menos 80%. 

Ou seja: se você tem um plano de 10 Mbps, a velocidade não pode ficar em menos de 4 Mbps. E a velocidade média deve ser no mínimo de 8 Mbps ao longo de cada mês. E, ainda, a Internet não pode cair por 99,5% do tempo, o que seria no máximo de 3h36min de interrupção em um mês.

Essas regras valem para prestadoras com mais de 50 mil clientes. Entre as operadoras estão:

  • NET;
  • GVT;
  • Algar Telecom.
  • Embratel;
  • Sercomtel;
  • Cabo Telecom;
  • Live TIM.

Anatel pode cobrar prazos, aplicar multas e até proibir vendas

Caso as operadoras desrespeitem essas regras, a Anatel pode estabelecer prazos para a resolução dos problemas, aplicar multas ou até proibir vendas para novos assinantes. Em último caso, pode solicitar a suspensão das atividades da operadora.


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e ganhe acesso ao conteúdo exclusivo que reservamos para você!



Imprimir Enviar a um amigo