Notícia

Caralluma fimbriata preocupa médicos

15 fevereiro 2011

15 fevereiro 2011

Problemas são relacionados à prescrição, comercialização, qualidade, registro e uso indiscriminado.

Celebridades afirmam terem testado. E aprovado. De ilustre desconhecida, a Caralluma fimbriata virou a queridinha de quem deseja emagrecer rápido – e sem sofrimento – e provocou uma verdadeira corrida às farmácias e lojas de produtos naturais.

A Caralluma fimbriata éum cacto, proveniente da Índia, que tem sido relatado como um inibidor de apetite, controlando a vontade de comer (principalmente de “beliscar” durante o dia), aumentando a saciedade e inibindo o acúmulo corporal de gordura. Alguns estudos sobre este fitoterápico, a maioria de origem indiana, relatam não haver efeitos colaterais e defendem que este cacto é item comum na alimentação nativa, não apresentando, portanto, risco de ingestão. Apesar das evidências demonstrarem que a Caralluma fimbriata realmente causa diminuição de apetite e perda de peso sem efeitos colaterais, existe a necessidade de mais estudos para determinar sua real segurança e eficácia, principalmente na forma de comprimidos, pílulas ou outras apresentações farmacêuticas.

Pela falta de estudos, juntamente à ausência de regularização de qualquer produto à base de Caralluma junto às autoridades competentes no Brasil, a Anvisa suspendeu a importação, fabricação, distribuição, manipulação, comércio e uso no país.


Imprimir Enviar a um amigo