Notícia

Ervilhas e lentilhas têm bichos

23 julho 2010

23 julho 2010

Você ainda pode levar um tipo de produto pensando que é outro.

Nós avaliamos nove marcas de lentilha e 11 marcas de ervilhas em grãos e vimos que nem sempre os fabricantes acertam ao descrever corretamente seus produtos. Além disso encontramos insetos vivos em cinco dos produtos analisados.

Ervilhas: sem data de fabricação

Apenas cinco marcas de ervilhas informavam a data de fabricação: Hikari, Camil, Carreteiro, Combrasil e Fritz e Frida. Apesar de todas as embalagens apresentarem receitas, somente três – Blue Ville, Carreteiro e Fritz e Frida – indicavam o modo básico de preparo ao consumidor.

Lentilhas: você leva gato por lebre

As lentilhas também têm problemas. A Granfino, por exemplo, afirma ser do tipo 2 (quando na realidade é do tipo 1, melhor) e a Hikari se diz tipo 1 (e é do tipo 3, qualidade bem abaixo da mencionada). Das nove lentilhas testadas, somente três – Camil, Carreteiro e Fritz e Frida – informavam a data de fabricação. Fritz e Frida e Máximo foram as únicas cujos rótulos traziam o modo de preparo.

A maioria das lentilhas não informou corretamente, ainda. Apenas quatro marcas informaram que os grãos eram misturados.

Carreteiro tinha insetos vivos

O caso mais grave de nosso teste foram as ervilhas e lentilhas comercializados pela Carreteiro, cujas embalagens tinham insetos vivos. Por conta disso, a ervilha dessa marca não foi encaminhada para degustação. Também encontramos o mesmo problema nas ervilhas Blue Ville, Fritz e Frida e Kisabor.


Imprimir Enviar a um amigo