Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Fogos de Artifício: como proteger a audição do seu bichinho
Uma fobia comum entre os cães, mas que representa muito perigo. Veja 14 dicas para evitar que seu melhor amigo seja afetado por esses barulhos
29 junho 2018 |
caes-medo-de-fogos

O medo de fogos de artifício é uma fobia recorrente em cães.  Isso porque, além de possuírem capacidade auditiva aumentada - o que maximiza o barulho, para os pets, ruídos altos podem significar perigo. 

Já testamos 15 rações para cães. Compare e poupe! 

Por isso, de maneira geral, eles tentam fugir de tais sons. Com o excesso de barulho, alguns cães entram em desespero

Eles babam, tremem e, em alguns casos, tentam entrar em locais pequenos demais ou até fogem de casa para se proteger.  

O estresse do animal pode ser tão grande que, no dia seguinte, alguns chegam a ficar doentes ou até se machucam seriamente. 

Por isso, é importante tomar algumas medidas para amenizar esse sofrimento:

Procure dessensibilizar o animal 

Grave o som que seu bichinho demonstra ter medo. Depois, vá reproduzindo ao poucos, para que ele se acostume a escutá-lo. 

É importante que isso seja gradativo. Sempre respeite o limite do seu bichinho! 

Escolha seus petiscos e brinquedos favoritos e, enquanto coloca o som no volume mínimo para tocar, recompense-o com os petiscos e brinque com ele.  

Nesse estágio, o cão mal deve ouvir o barulho e ficar concentrado em você. Quando perceber que o pet está bem tranquilo, aumente um ponto na regulagem do som. 

Faça tudo devagar e com paciência, pois um susto pode retroceder todo o treino. 

A chave da dessensibilização consiste em continuar com o processo durante o tempo necessário: uma semana, quinze dias, um mês... Não importa o tempo, mas sim que o cachorro a todo o momento se sinta confortável, seguro e recompensado.  

Essas sessões devem durar uns 5 minutos para não sobrecarregar ou estimular o animal além da conta.

Não aumente o carinho por conta dos fogos

Durante o momento que antecede os fogos, NÃO MUDE SEU COMPORTAMENTO. A maioria das pessoas tende a mimar/acolher seus cães quando eles demonstram que estão com medo de fogos. 

As pessoas fazem mais carinho que o normal, abraçam, falam com os cães com voz doce. Em vez de ajudar a acabar com o medo, esse comportamento do dono reforça o medo no cão. Ele associa: medo = carinho.

Aja naturalmente 

Tente você mesmo não reagir aos fogos de artifício. Se você demonstra prontidão logo antes dos fogos, por conta do medo do seu cão, isso só irá piorar o que ele sente. 

Você acabará deixando-o ansioso. Sua linguagem corporal diz para seu cão se ele precisa ficar com medo ou não.

Tente, ao máximo, camuflar o barulho

Faça o possível para camuflar o som dos fogos. Ligue o rádio ou a TV, feche as janelas, ligue o ventilador e/ou o ar-condicionado, coloque cobertores pesados ou até mesmo um colchão tampando a janela e outras frestas.

Não force o cão a nada

Se ele quiser se esconder embaixo da cama, deixe. Não o obrigue a fazer nada que ele não queira, pois isso pode acarretar em um aumento do medo e o cão pode se tornar um cão agressivo se sair de sua zona de conforto;

Evite fugas

A primeira coisa a fazer nas noites de festa é fechar bem as portas e as janelas. 

No desespero, cães e gatos tentam fugir. O pânico desorienta o animal, que tende a correr desesperado e sem destino;

Tampões podem ajudar

Alguns veterinários aconselham o uso de tampões de algodão nos ouvidos que podem ser colocados minutos antes e tirados logo após os fogos;

Solte a coleira

Não deixe seu cachorro ou gato na coleira. Muitos animais, quando presos, morrem por enforcamento, no desespero de fugir dos fogos e rojões.

Se precisar isolá-lo, deixe-o fechado num quartinho ou em uma caixa de transporte coberta com cobertor pesado;

Acalme-o

Homeopatia, florais e acupuntura podem diminuir o medo e a ansiedade do seu animal.

Mas esses tratamentos devem ser feitos ao longo do ano. Converse com o veterinário;

Identifique seu animal

Coloque uma coleira com plaqueta de identificação no pescoço do seu cão ou gato. Isso é importante para achá-lo no caso de fuga.

A coleira do gato deve ser elástica, para que não haja risco de enforcamento ao se prender a um galho ou outro objeto.

A plaqueta deve conter o número do seu telefone (residência e celular);

Evite brigas

Não deixe muitos cães juntos, pois, excitados pelo barulho, podem brigar e se ferir gravemente;

Distraia seu bichinho

Se for possível, fique com ele durante a queima de fogos e tente desviar a atenção dele com aquelas brincadeiras que ele mais gosta;

Evite acidentes

Retire qualquer coisa que possa ser derrubada, quebrada ou derramada no ambiente que o animal vai frequentar;

Em casos muito graves o cão pode precisar de medicamentos calmantes ou sedativos. Converse com o veterinário. 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

os-incriveis-2
comida-artesanal-newsflash-home
leite-estragado
feijao-causa-gases

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.