Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Gatos: castrar ou não castrar?

Crueldade ou bem-estar para os felinos? Saiba se optar pela cirurgia é uma boa escolha para eles

06 março 2018 |
gatinho-operando

Castrar ou não castrar um gato de casa? Este é o dilema que muitos donos enfrentam. Mas, o que pode parecer um ato cruel à primeira vista, é uma medida que garante a qualidade de vida do próprio animal.

A cirurgia de castração retira o órgão reprodutivo do gato no todo ou em parte. Nos machos, apenas o testículo é removido e eles se recuperam em poucos dias.  Já nas fêmeas, a esterilização é feita com a retirada total de útero e ovários. Nesse procedimento, há abertura da barriga do animal para extração dos órgãos. A cicatrização leva cerca de uma semana. 

gato-operando

A cirurgia de castração, geralmente realizada entre 6 e 8 meses de vida, é considerada simples, apesar de o gato precisar de anestesia geral para que a operação possa ser realizada. 

Pós-operatório é tranquilo

Na maioria das vezes o gato volta da clínica no mesmo dia em que a cirurgia é feita. O pós-operatório da castração de gatos também não é nada complicado. O gato terá que tomar medicação nos dias seguintes da cirurgia e pode precisar usar um colar protetor ou uma roupinha pós-cirúrgica para proteger o local da cirurgia e facilitar a recuperação. 

gato-pos-cirurgia

Gato castrado tem tempo de vida maior

A castração traz inúmeras vantagens para os gatos domésticos. Depois da operação, os gatos domésticos saem menos de casa ficando, portanto, menos expostos a brigar, se machucar, pegar certas doenças ou serem atropelados. Dessa forma o gato castrado tende a viver mais. 

No caso das fêmeas, evita-se ainda o risco de gestações sequenciais, que trazem não somente o desafio de encontrar novos lares para os filhotes (o que muitas vezes se reflete em abandono) como também debilitam a saúde da gata. 

A castração também pode diminuir e até mesmo eliminar comportamentos indesejáveis, como marcação de território com urina, montar em objetos, arranhar e afiar as unhas nos móveis, fuga e agressividade. Observa-se ainda redução no odor da urina dos machos.

Seu gatinho continuará sendo brincalhão 

gato-brincando

Atenção: os níveis de atividade, brincadeiras e miados não costumam se alterar pela castração – portanto, fique tranquilo, seu gatinho não ficará “bobo” após ser castrado.

Atenção com a obesidade felina

Agora, um efeito colateral comum da castração é a tendência à obesidade - a castração triplica ou quadruplica o risco de o animal ficar acima do peso ideal.

Ao retirar as gônadas do felino, encerra-se a produção dos hormônios reprodutivos.  Esses hormônios são responsáveis ainda por controlar o apetite e pela manutenção de uma massa muscular de qualidade (que consome mais calorias). 

Assim, sem os hormônios, os gatos acabam gastando menos energia e comendo mais. Como resultado, eles ingerem muito mais calorias do que conseguem queimar.   Esse ganho de peso, no entanto, pode ser facilmente revertido pelo dono. Basta fazer o controle da quantidade de ração que o animal ingere. 

gato-obeso

O mercado oferece diversas opções de ração para gatos castrados, com menos gordura e mais fibras. Estimular o animal a fazer exercícios físicos, brincando com ele, também contribui para maior queima de calorias e menor ganho de peso.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

ração-cachorro
comprimidos
remédios

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.