Server Error

Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Webcams: uma ameaça silenciosa à sua privacidade
O Mark Zuckerberg, dono do Facebook, por exemplo, adota uma técnica simples, mas eficaz. Saiba qual é e veja também nossas dicas de como se proteger 
19 julho 2018 |
cuidados-com-webcam

Webcams são um meio bastante simples de espionar as pessoas. Há diversos tutoriais na internet que ensinam como acessar a webcam de alguém sem que a pessoa saiba.

O mais alarmante é que não é necessário muito conhecimento técnico para conseguir.

É tão simples e comum que até mesmo o CEO do Facebook tem medo de ter sua webcam hackeada e, por isso, coloca fitas adesivas para cobri-la.

Não se deixe enganar pelas luzes indicativas de uso

Mesmo webcams que possuem luzes indicativas de que estão em uso podem enviar imagens para outra pessoa, sem que essas luzes estejam acesas.

Dessa forma, parecendo que o dispositivo está desligado, sua privacidade pode estar sendo invadida sem você ter a menor ideia disso.

Dicas para se proteger:

•  Cuidado com outras pessoas utilizando o notebook ou computador;

•  Cuidado ao usar o pendrive em computadores públicos e depois conectá-lo no próprio equipamento. Passe um antivírus logo de inicio;

•   Adotar a estratégia de Mark Zuckerberg, de cobrir a câmera com uma fita adesiva;

•  Caso não esteja usando a webcam, desative-a ou a desplugue, se forpossível;

• Tome cuidado com e-mails desconhecidos, pois podem ser um ataque phishing para ter acesso a sua câmera.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

baba-eletroonica
foto-celular
J7-TOTAL
celular-perdido

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.