Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Novos resultados do Latin NCAP: O Peugeot 208 ganhou duas estrelas, enquanto o "anterior" Hyundai Tucson obteve zero estrela
10 dezembro 2021 |

Os novos resultados do Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe, Latin NCAP, foram divulgados hoje com dois estrelas para o Peugeot 208 e um decepcionante zero estrela para a versão anterior do Hyundai Tucson.

O Peugeot 208, fabricado na Argentina, com dois airbags frontais, dois laterais de corpo e Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) como equipamento de série, obteve duas estrelas no mais recente protocolo do Latin NCAP. O popular modelo compacto atingiu 51,53% em Proteção de Ocupantes Adultos, 54,92% em Proteção de Ocupantes Infantis, 54,13% em Proteção de Pedestres e Usuários Vulneráveis das Estradas e 55,81% em Sistemas de Assistência à Segurança.

O 208 foi avaliado em impacto frontal, impacto lateral, chicotada cervical (whiplash), proteção de pedestres, ESC, teste de alce (moose test) e sistema de assistência à velocidade (SAS). O modelo mostrou um desempenho aceitável no impacto frontal e bom no impacto lateral para a proteção de ocupantes adultos, devido aos seus sistemas de retenção. A proteção contra chicotada cervical foi boa, o veículo está em conformidade com o regulamento de impacto traseiro UNR32 e oferece uma folha de resgate de acordo com os requisitos do Latin NCAP. A estrutura do habitáculo e a área dos pés foram consideradas instáveis. A falta de airbags laterais padrão para a cabeça limitou a pontuação do veículo. Para ganhar pontos de AEB, os modelos necessitam proteção passiva total. Sem os airbags laterais de cortina, o 208 não pode somar pontos de AEB, tecnologia disponível nas versões. 

O desempenho da proteção do ocupante infantil ficou abaixo das expectativas. O veículo teve pontuação baixa, devido à falta do interruptor de desconexão do airbag do passageiro e problemas com a geometria do cinto de segurança e do assento. Além disso, durante o teste dinâmico, o encosto do banco traseiro caiu fora de posição, afetando a proteção da cabeça do dummy de três anos, o que também poderia levar a uma redução de pontos. O problema foi revisado e foi explicado pela comunicação incorreta ao usuário. Ações foram tomadas pela Peugeot para melhorar este cenário, foram feitas mudanças na cor que sinaliza quando o bloqueio do encosto está mal engatado e o sistema de encosto traseiro foi revisado. O modelo foi reavaliado depois que a Peugeot decidiu fazer melhorias na comunicação do usuário para evitar o desbloqueio do encosto.

Nessa nova avaliação, o encosto do banco permaneceu em posição durante todo o teste, resultando em melhor pontuação para proteção dos ocupantes infantis. É provável que, com a proteção lateral padrão da cabeça, o resultado geral seja drasticamente melhorado. O Latin NCAP ofereceu a Peugeot para testar versões mais bem equipadas do 208, mas o fabricante rejeitou a oferta.

O Hyundai Tucson, fabricado na Coreia do Sul, com dois airbags frontais e nenhum ESC padrão, ganhou zero estrela no mais recente protocolo do Latin NCAP. A versão anterior do SUV atingiu 51,21% na Proteção do Ocupante Adulto, 4,37% na Proteção do Ocupante Infantil, 49,85% na Proteção para Pedestres e Usuários Vulneráveis das Estradas e 6,98% nos Sistemas de Assistência à Segurança.

O Tucson foi avaliado em impacto frontal, impacto lateral, chicotada cervical (whiplash) e proteção de pedestres. O modelo teve um bom desempenho em impacto frontal e impacto lateral para proteção do ocupante adulto; no entanto, a falta de airbags laterais padrão para a cabeça limitou a pontuação do veículo. O teste de chicotada cervical (whiplash) mostrou boa proteção. A estrutura do habitáculo e a área dos pés foram consideradas estáveis. O desempenho da segurança infantil foi ruim porque o Tucson surpreendentemente vem com um cinto de dois pontos padrão na posição do banco central traseiro e, além disso, porque a Hyundai se recusou a recomendar o Sistema de Retenção Infantil (SRI) para testes. A proteção para pedestres em geral foi média, com proteção pobre para a coxa e baixa proteção para a cabeça. O veículo não possui Frenagem Autônoma de Emergência para Usuários Vulneráveis das Estradas para compensar a proteção de pedestres descrita acima, mitigar ou eventualmente impedir o contato com os pedestres. Dos Sistemas de Assistência à Segurança, obteve apenas pontos para o Sistema de Aviso do Cinto de Segurança (SBR). O veículo não oferece ESC padrão ou outras tecnologias relevantes. Os elementos opcionais de segurança contribuíram para uma melhor proteção dos ocupantes. O Latin NCAP ofereceu a Hyundai para testar a nova versão do Tucson, mas o fabricante rejeitou a oferta.

A versão Tucson avaliada pelo Latin NCAP foi relegada com a nova versão do modelo. O Latin NCAP comprou a unidade avaliada em fevereiro de 2021, após consultar as representações oficiais da marca em três países diferentes, foi confirmado que faltavam, ao menos, dois anos para que o novo Tucson chegasse à América Latina. Os tempos se desenrolaram de forma diferente e o novo Tucson chegou à America Latina em 2021. Isso não invalida esse resultado, pois há muitos Tucsons “antigos” ainda disponíveis como veículos novos ou usados que os consumidores podem comprar.

A partir de 2020, todos os veículos avaliados são testados quanto à segurança passiva de pedestres. Isso significa que a frente do veículo é impactada com partes de pedestres. Após cada teste, todas as partes frontais são substituídas por novas, o que implica a necessidade de um grande número de partes frontais de reposição. Ao contrário dos demais veículos avaliados pelo Latin NCAP na proteção de pedestres, o Latin NCAP demorou mais de sete meses para obter todas as peças do Hyundai Tucson. Dois potenciais motivos podem explicar esse atraso incomum na obtenção das peças; uma baseada, possivelmente, na ação ativa do fabricante do veículo para atrasar os resultados pelo fato de não cooperar e, a segunda, que simplesmente o sistema de peças de reposição da Hyundai é ineficiente, lento e manteria o consumidor esperando meses para obter uma peça original. Ambos os cenários não são bons para os consumidores. 

Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP, disse:

“É surpreendente que uma plataforma global relevante como o 208 tenha eliminado equipamentos de segurança padrão importantes de sua versão original como os airbags laterais para a cabeça. O Latin NCAP incentiva a Peugeot a atualizar o equipamento do veículo para oferecê-lo como padrão o mais rápido possível e então reavaliar para demonstrar seus benefícios aos consumidores. O Latin NCAP está mais uma vez decepcionado com a Hyundai com sua atitude em relação à saúde e a segurança dos consumidores latino-americanos. É incrível que um SUV como o Tucson não ofereça proteção lateral e ESC padrão. Também é preocupante o atraso incomumente longo na entrega das peças originais. Apelamos urgentemente à Hyundai para fazer uma mudança importante na estratégia de segurança básica na LAC e nivelar sua política na Europa, Austrália e Estados Unidos, entre outros. O Latin NCAP acredita que a informação ao consumidor, conhecida como rotulagem de segurança do veículo, pode ajudar a melhorar drástica e rapidamente o nível de segurança do veículo como resultado de uma ação voluntária”.

Stephan Brodziak, presidente do Conselho de Administração do Latin NCAP, disse: 

“Mais uma vez, graças ao Programa Latin NCAP, os consumidores podemos conhecer os riscos aos quais algumas empresas, principalmente latino-americanas, nos expõem com a venda de veículos de baixa segurança. Lamentamos o mau exemplo que a Peugeot dá com seu modelo 208 ao retirar os airbags de cabeça nos mercados latino-americanos. A Hyundai nos dá uma detestável surpresa ao ver que um de seus modelos mais populares na região, o Hyundai Tucson, que teve vendas significativas em nossos países, obteve zero estrela em segurança. Este é mais um exemplo da discriminação em segurança veicular que os habitantes da região têm que sofrer por parte de algumas montadoras que usam nossa região como um mercado abaixo do padrão para maximizar seus lucros. Exigimos que tanto a Peugeot como a Hyundai implementem urgentemente as normas de segurança necessárias para oferecer proteção adequada aos consumidores e usuários das estradas em todos os seus modelos. A América Latina e o Caribe não merecem melhor segurança para os veículos sem mais demora”.

Peugeot 208 (4 airbags)

O 208 foi testado em impacto frontal, impacto lateral, chicotada cervical (whiplash), proteção de pedestres, ESC, teste de alce (moose test) e Sistema de Assistência à Velocidade (SAS). No impacto frontal, o modelo apresentou comportamento estrutural estável e boa proteção. O teste de impacto lateral mostrou boa proteção. O teste de chicotada cervical (whiplash) apresentou boa proteção para o pescoço. O carro oferece proteção dinâmica completa para ambas as crianças. A proteção de pedestres foi, em geral, aceitável de uma perspectiva de segurança passiva; mas o Latin NCAP acredita que este modelo deve oferecer Frenagem Autônoma de Emergência para pedestres. Os sistemas de assistência à segurança mostram todos os pontos disponíveis para ESC, que é padrão, e os pontos completos para o Sistema de Aviso do Cinto de Segurança (SBR) na frente, bem como os pontos completos para o dispositivo de limitação de velocidade. O SBR traseiro e tecnologias como AEB, detecção de ponto cego na configuração correta e com um mínimo de pontos de segurança passiva no quadrante de adultos poderiam ter ajudado o 208 a obter uma melhor pontuação.

Leia o relatório completo
Assista ao vídeo do teste de colisão
Faça download das imagens do teste de colisão

Hyundai Tucson (dois airbags)

O Tucson foi testado em impacto frontal, impacto lateral, chicotada cervical (whiplash), proteção de pedestres. No impacto frontal, o modelo apresentou comportamento estrutural estável e boa proteção. O teste de impacto lateral mostrou boa proteção. O teste de chicotada cervical (whiplash) mostrou boa proteção para o pescoço. O carro oferece proteção dinâmica completa para ambas as crianças, mas a decisão de não recomendar o sistema de retenção infantil (SRI) para os testes levou a pontuação dinâmica a zero. A falta de um cinto de três pontos em todos os assentos levou a zero na avaliação baseada no veículo. A proteção dos pedestres em segurança passiva é baixa e não é compensada pela presença de Frenagem Autônoma de Emergência para usuários vulneráveis das estradas com bom desempenho. ESC não é padrão no Tucson, o que levou a baixas pontuações nos Sistemas de Assistência à Segurança.

Leia o relatório completo
Assista ao vídeo do teste de colisão
Faça download das imagens do teste de colisão


Acerca do Latin NCAP

O Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina e o Caribe (Latin NCAP) foi lançado em 2010 para desenvolver um sistema regional independente de testes de colisão de veículos e de qualificação de segurança na região. O Latin NCAP replica programas de testes de consumidores similares desenvolvidos nos últimos trinta anos na América do Norte, na Europa, na Ásia e na Austrália, que demonstraram ser muito eficazes na melhora da segurança dos veículos. Desde 2010, o Latin NCAP vem publicado os resultados de mais de 135 veículos. www.latinncap.com/resultados

O Latin NCAP agradece o apoio recebido pelo Global New Car Assessment Programme (Global NCAP), pelo International Consumers Research and Testing (ICRT), pela FIA Foundation, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pela Bloomberg Philanthropies Global Road Safety Initiative.

O Latin NCAP é membro associado do Global NCAP e apoia o Decênio de Ação das Nações Unidas para a Segurança Viária e à iniciativa Stop the Crash.

Server Error

Leia também

Server Error
Server Error
Server Error
Server Error

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.