Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Pesquisa PROTESTE: Impacto da pandemia nos consumidores

A crise da covid-19 teve consequências como o aumento do preço nos supermercados e perdas na vida do consumidor, para medir seu real impacto, a PROTESTE recentemente analisou esses âmbitos em duas pesquisas

29 julho 2020 |

A pandemia do coronavírus provocou dificuldades para o consumidor, seja no âmbito de consumo, com o aumento de preços nos supermercados, ou no financeiro, com as perdas salariais. A fim de medir o verdadeiro impacto da pandemia na vida dos consumidores, a PROTESTE foi a campo em todas as capitais brasileiras, principalmente, São Paulo e Rio de Janeiro, ouvir os consumidores de cada classe social. 

A maior perda identificada foi a de renda, resultado das consequências nos empregos. O segundo maior ponto de perda foi o cancelamento de eventos culturais, esportivos ou familiares e, em seguida, os prejuízos por conta dos alugueis. Confira os detalhes no episódio do Momento PROTESTE dessa semana na CBN

“A média nacional é de que 80% das pessoas já tiveram algum tipo de perda, mas no Rio de Janeiro é maior, chega a 87% com destaque para a de renda. Dessas 87%, 62% já tiveram perda do trabalho assalariado, autônomo, empreendedor ou informal.” revela Henrique Lian, diretor de relações institucionais da PROTESTE.

Pesquisa de Preços de Supermercados

Enquanto a renda diminuiu, os preços nos supermercados em São Paulo aumentaram.

O levantamento feito pela PROTESTE entre os dias 11 e 14 de junho em 50 estabelecimentos no município revelou que o valor dos onze produtos analisados subiu. Para a pesquisa, foram considerados os itens da cesta básica, entre eles, o leite integral sofreu o maior aumento com variação de 11% em relação a última pesquisa feita em maio.

“Os maiores aumentos de preço observados são nos produtos mais essenciais. A demanda e produção de leite estão normalizadas, é, de fato, um abuso de preços com base na situação excepcional que estamos vivendo.” explica Henrique Lian em reportagem ao SP1 na Globo nessa terça-feira (28). Assista ao vídeo aqui

Segundo Lian, nesse caso, a regulação do mercado não está ideal e o consumidor fica sem opção. 

“Talvez precisemos, nesse momento, de uma politica pública para esses alimentos essenciais.”

Medidas de segurança e higiene 

Além disso, outro parâmetro avaliado foi o cumprimento de medidas para o combate ao coronavírus recomendadas pelos órgãos e agências de saúde. Ao todo, nos estabelecimentos verificados, a máscara era obrigatória, disponibilizaram álcool em gel aos consumidores e forneceram máscaras para os funcionários. Apenas 10% das 50 lojas não operavam de forma considerada positiva na higienização dos carrinhos antes ou após a utilização dele. 

Produtos analisados para a coleta de preços

  • Arroz branco, feijão carioca, leite integral, açúcar refinado, óleo de soja, papel higiênico folha dupla, água sanitária, desinfetante, sabonete, sabão em pó e álcool em Gel 70%. 

O consumo de alimentos em casa no isolamento social é maior e influencia nas despesas básicas. Com a redução na renda, é preciso ter cuidado para amenizar os impactos financeiros da pandemia, confira os conselhos da PROTESTE para adequar as despesas ao novo tipo de receita.

Dicas para economizar nas despesas 

  • Analisar e identificar o que é possível cortar ou substituir

  • Pesquisar melhor os preços 

  • Avaliar as despesas fixas para também identificar o que pode ser cortado

  • Outra opção pode ser substituir um crédito mais caro por um mais barato

Saiba mais: PROTESTE orienta consumidores sobre os principais vilões do endividamento

Leia também

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.