Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Revista PROTESTE: Janelas da esperança

Nossos associados são a capa da edição de agosto e trazem a esperança de um futuro melhor. No Bate-Papo, a jornalista Flávia Oliveira fala sobre a situação econômica e aponta diretrizes para o pós-pandemia 

11 agosto 2020 |

As estatísticas apresentam de forma objetiva os fatos, mas as experiências de vida nos aproximam da compreensão da realidade. Na edição de agosto da Revista PROTESTE, em busca de entender além dos números, as vivências ganharam destaque. Pela primeira vez, os nossos associados estão na capa e contam os diferentes relatos pessoais de transformações devido à pandemia. Cada narrativa expressa esperança e possibilidades para o novo normal.

O consumidor precisou se adaptar à nova rotina e desafios do isolamento social. Dez dos nossos associados compartilharam, na revista, histórias sobre essa experiência e que existe a oportunidade para mudanças positivas. A partir do ponto de vista deles, reparamos que contribuímos na trajetória de cada um - isso reforça a efetividade da atuação da PROTESTE e o compromisso em estar ainda mais próxima do consumidor.

Para entendermos o panorama econômico atual além dos dados, o Bate-Papo é com a jornalista Flávia Oliveira, colunista do jornal O Globo e comentarista da GloboNews. Mais do que analisar a economia, Flávia comenta sobre as questões sociais e acredita que a criatividade é uma das características para superar a crise. 

Na Casa PROTESTE, os nossos especialistas fazem recomendações para economizar energia e também escolher uma geladeira eficiente e sustentável. Os desinfetantes, importantes para a higienização da casa, foram testados para auxiliar o consumidor na decisão de compra, principalmente, nesse momento em que a limpeza é uma grande aliada para a prevenção do vírus. 

SAIBA MAIS: Revista PROTESTE

 

Leia também

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.