Notícia

Sabonetes bactericidas deixam a desejar

13 abril 2012

13 abril 2012

Nós avaliamos a eficiência de 12 produtos quanto à proteção contra quatro bactérias

Quatro sabonetes bactericidas tiveram um desempenho muito ruim em análise feita pela PROTESTE Associação de Consumidores, pois não foram eficientes contra nenhum micro-organismo utilizado no teste. Foram avaliados 12 produtos, incluindo dois hidratantes, em versões líquidas e sólidas, para verificar se os produtos eliminam ou reduzem bactérias.

Foi testada a eficácia dos produtos em quatro bactérias: Escherichia coli presente no intestino grosso e nas fezes humanas, Pseudomonas aeruginosa, causadora da infecção hospitalar, Serratia marcescens, que ataca o sistema urinário e respiratório e a Staphylococcus aureus que causa infecções na pele e até pneumonia.

Os sabonetes da marca Protex barra e líquido e Lifebuoy líquido não eliminaram nenhum micro-organismo utilizado no teste. Mas o sabonete Lifebuoy em barra reduziu a quantidade de três das bactérias.

O Granado tradicional foi eficaz contra duas bactérias, ainda que não seja vendido com o apelo de combater micro-organismo. O Granado Tradicional e o Dove, que são hidratantes, foram incluídos nas análises por terem sido os melhores do teste de sabonetes convencionais feito pela PROTESTE em junho do ano passado.

Sabonete/Bactéria E. COLI P. AERUGINOSA S. MARCESCENS S. AUREUS
DETTOL
barra
OK OK OK
DETTOL
líquido
OK OK
DOVE
FRANCIS OK OK
GRANADO Antisséptico OK OK
GRANADO Tradicional OK OK
LIFEBUOY
barra
OK OK OK
LIFEBUOY líquido
PROTEX barra
PROTEX líquido
RACCO OK
YPÊ Action OK OK OK

Na análise das embalagens, com exceção do Lifebuoy líquido, todos os produtos que garantem acabar com a E. coli conseguiram eliminá-la. Entre os seis que se mostraram eficazes contra a P. aeruginosa, apenas o Francis informava acabar com esta bactéria.

Dos cinco sabonetes que anunciavam proteger a pele contra o S. aures, somente o Dettol em barra confirmou a ação. O Granado Antisséptico, Ypê, Racco e Protex não indicam nas embalagens quais bactérias eliminam ou reduzem.

O Protex, líder nesse segmento, informa na embalagem eficiência contra 99,9% das bactérias presentes na pele, porém não cumpriu o prometido.

A PROTESTE pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que os testes de eficácia bactericida realizados pelos fabricantes sejam padronizados. O consumidor tem direito de saber o a eficiência do produto que utiliza.

Foram testados: Dettol (barra e líquido), Ypê Action, Lifebuoy (barra e líquido), Granado Antisséptico e Tradicional, Francis, Racco, Protex (barra e líquido) e Dove.

O teste completo está disponível para associados da PROTESTE na revista PROTESTE n° 112 de Abril de 2012.


Imprimir Enviar a um amigo