Como fizemos o teste

Sabonetes para pele oleosa: como fizemos o teste

27 junho 2017

27 junho 2017

Além de analisarmos a rotulagem dos produtos, verificamos a efetividade na redução e no controle da oleosidade e pedimos a 30 mulheres para opinarem sobre odor, consistência, espuma, limpeza, entre outros itens.

Os sabonetes líquidos e géis de limpeza testados pela PROTESTE são comprados anonimamente nas lojas. Não aceitamos amostras grátis de fabricantes. Os laboratórios que fazem as análises são independentes e não têm seus nomes revelados.

Nos testes, usamos as normas que melhor retratam os interesses do consumidor, sejam nacionais ou estrangeiras. Para avaliar os sabonetes líquidos de limpeza, para pele oleosa e com acne, deste teste, consideramos as principais marcas do mercado e utilizamos as seguintes avaliações:

• Rotulagem – Verificamos se os rótulos continham todas as informações exigidas pela legislação e se estavam legíveis, permitindo a leitura e o entendimento pelo consumidor.

sabonetes faciais 3

• Eficácia – Para determinar a capacidade do produto de reduzir a oleosidade da pele e de mantê-la sobre controle após o uso contínuo, 20 voluntários do sexo feminino e masculino, com pele propensa à acne utilizaram o produto no rosto duas vezes ao dia (pela manhã e antes de dormir) por 30 dias.

A oleosidade é medida por meio de um equipamento chamado Sebumeter. Ele possui uma ponta com uma membrana translúcida que se torna progressivamente mais transparente conforme vai absorvendo gordura. Para medir a oleosidade da pele, essa ponta é pressionada sobre a pele do voluntário por cerca de 30 segundos. O resultado da oleosidade é obtido pela diferença do valor da transmissão da luz através da membrana, antes e após a impregnação pela gordura. O produto é considerado eficaz se diminui a oleosidade da pele durante uma hora após o uso e se mantém essa oleosidade sob controle após 30 dias de uso.

sabonetes faciais 4

Um médico dermatologista também avaliou visualmente a quantidade de lesões acneicas (inflamatórias e não inflamatórias) em cada voluntário e a comparou com o número de lesões ao final do estudo para verificar se os produtos reduziriam a quantidade ou causariam um “efeito rebote”, aumentando a quantidade.

Análise sensorial – Cada um dos sabonetes foi avaliado por 30 mulheres. Para isso, os produtos foram retirados de suas embalagens originais e embalados de modo a evitar qualquer indicação referente à marca em estudo. As voluntárias, então, responderam um questionário avaliando os seguintes aspectos:

• Odor na aplicação.

• Consistência.

• Quantidade de espuma.

• Sensação de limpeza após utilização.

• Suavidade na pele.

• Sensação de pele ressecada.

• Sensação de diminuição da oleosidade da pele.


Imprimir Enviar a um amigo