Notícia

Dengue: mitos e verdades sobre o mosquito

18 janeiro 2016

18 janeiro 2016

Saiba o que é realmente verdade e o que é crendice popular a respeito do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue.

Untitled Document

Só as fêmeas do Aedes aegypti picam.
Verdade. As fêmeas precisam de sangue para fazer eclodir os ovos, motivo pelo qual nos picam.

Pessoas com sangue doce atraem mais os mosquitos.
Mito. Os mosquitos são mais atraídos por certas pessoas, mas não pelo sabor do sangue. Eles escolhem as vítimas com base no cheiro da pele, transpiração e emissão de gás carbônico.

Luz elétrica atrai os mosquitos.
Mito. Os mosquitos não têm receptores para luz. Existem possíveis explicações para eles se aproximarem da luz: podem ser atraídos pelo calor das lâmpadas ou por outros insetos que sejam sensíveis à luz.

Ultrassons afastam os mosquitos.
Mito. Os ultrassons têm efeito sobre pequenos roedores, mas não contra mosquitos, pois eles não têm aparelho auditivo.

O mosquito não chega até andares altos.
Mito. Eventualmente, andares mais baixos podem ter mais criadouros em função da facilidade de acesso pelos mosquitos. Mas ele pode se espalhar pelas escadas e pelo elevador.

O uso do fumacê é suficiente para evitar a dengue.
Mito. Ele tem a função de diminuir a população de mosquitos adultos no ambiente e deve ser utilizado em caso de surto ou epidemia. O uso indiscriminado pode trazer prejuízos ao meio ambientes e às pessoas.

Não existe transmissão da dengue fora dos períodos de chuva.
Mito. A dengue é mais frequente no verão, mas o Brasil tem condições climáticas e ambientes favoráveis à proliferação do mosquito o ano todo.

O Aedes aegypti só pica nas pernas.
O mosquito prefere a região das pernas, mas se elas estiverem cobertas, ele vai picar o braço ou qualquer outra área exposta do corpo.

Quem toma vitamina B não é picado.
 A ingestão de vitamina B pode fazer com que a pessoa elimine moléculas que evitam um pouco a picada, mas não afasta totalmente o mosquito.


Imprimir Enviar a um amigo