Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Transtornos alimentares: fique de olho nos sinais de alerta

É preciso saber identificar e tratar logo distúrbios como bulimia, anorexia e compulsão, que podem até levar à morte. Para tanto, amigos e familiares devem ficar atentos aos sintomas.

06 outubro 2017 |
alimentacao1

Bulimia, anorexia e compulsão são transtornos alimentares que podem fazer um estrago na sua vida e até levar à morte. Por isso, precisam ser identificados e tratados o quanto antes. Porém, para tanto, a família e os amigos são essenciais nesse processo, porque devem oferecer ajuda ao perceberem os primeiros sinais do problema. Até porque a maioria das pessoas camufla a sua condição.

A causa desses transtornos ainda é desconhecida, mas sabe-se que, surgem, normalmente, no final da adolescência ou no início da idade adulta, por isso estão listadas entre as doenças crônicas mais comuns durante a juventude, na maioria das vezes entre as mulheres. A suspeita é que o aparecimento desses distúrbios se deva à pressão da sociedade, que considera a magreza como o padrão de beleza ideal. Além disso, problemas psicológicos, como baixa autoestima, perfeccionismo, transtornos de ansiedade e de obsessividade também podem ser fatores de risco.

O diagnóstico inclui diversos exames, como o físico, os de sangue, de urina e a avaliação psicológica. Caso suspeite do comprometimento de outros órgãos, o médico pode solicitar outros exames complementares. O tratamento envolve uma equipe multidisciplinar, normalmente composta por médico, profissional da saúde mental e nutricionista. Antidepressivos, sobretudo se usados juntamente com a psicoterapia, podem reduzir os sintomas.

 alimentar-transtorno2

Apesar de não serem únicos, alguns transtornos alimentares, como a anorexia, a bulimia e a compulsão alimentar, são os mais comuns. Aprenda a identificá-los e veja quais são as suas consequências:

Anorexia
Sinais de alerta
- Emagrecimento rápido.
- Desculpas para não comer.
- Ingestão apenas de frutas e legumes.
- Agressividade e isolamento social.
- Prática exagerada de exercícios.
- Uso excessivo de laxantes e diuréticos. 
- Perturbações do sono.
- Queda de cabelo e manchas nas unhas. 
- Menstruação cessa (nas mulheres) e perda da ereção (nos homens).
- Perda do desejo sexual.
- Obsessão pelo controle do peso.

Consequências
- Fadiga, fraqueza, tontura, visão turva, debilidade muscular, cãibra, prisão de ventre, dor de cabeça, palidez, alteração na pele, problemas no sangue e distúrbios do sistema hormonal.
- Se a família não intervir a tempo, o anoréxico pode colocar em risco a sua própria vida, seja pela debilidade física, seja por suicídio (comum no transtorno).

Bulimia
Sinais de alerta

- Dois ou três episódios de comer compulsivo por semana, durante, pelo menos, três meses.
- Cáries frequentes.
- Uso excessivo de laxantes e diuréticos. 
- Alteração no horários das refeições e aumento do seu número (mas pode comer escondido).
- Úlceras na parede do estômago.
- Feridas nas mãos (causadas pelos dentes, 
ao provocar vômito).
- Agressividade e isolamento social
- Sintomas depressivos (como baixa autoestima e insegurança) e ansiedade.
- Prática exagerada de exercícios.
- Perda de peso.

Consequências
- Distensão dolorosa do estômago, distúrbio do ciclo menstrual, náusea, perda de potássio, fraqueza muscular, cãibra, prisão de ventre e dor de cabeça.
- Os ácidos nos vômitos deterioram o esmalte dos dentes e ferem o esôfago.

  alimentar-transtorno3

Compulsão alimentar periódica
Sinais de alerta
- Ao menos duas vezes por semana, ingere uma quantidade excessiva de comida, mesmo sem
fome (após, não provoca vômito ou toma laxante).
- Come até se sentir cheio de maneira desconfortável.
- Esconde hábitos alimentares por vergonha,
comida para episódios de voracidade e caixas vazias de alimentos.
- Fica beliscando ou come sem parar, enquanto houver comida disponível.
- Come quando está sob pressão ou se sente psicologicamente diminuído.
- Sente-se culpado ou envergonhado após
um episódio de voracidade.
- Mostra-se insatisfeito com a aparência, o peso ou a autoestima.

Consequências
- Problemas gástricos e obesidade (que pode trazer hipertensão, problemas cardiovasculares e outras doenças).
- Depressão e ansiedade (mas não se sabe se são anteriores ou posteriores ao comer compulsivo).

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

alimentos-funcionais
granola-teste
água de coco
IMG-queijominas

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.