Notícia

Mudanças pontuais no cardápio do McDonald´s

10 julho 2012

10 julho 2012

Redução de sódio teria quer ser maior para tornar produtos mais saudáveis. Troca da batata frita por salada depende da adesão do consumidor.

Anunciada com estardalhaço pelo McDonald´s as mudanças no cardápio são pontuais. Na avaliação da PROTESTE Associação de Consumidores inserir uma porção de fruta fresca e reduzir a porção de batata fritas não torna o Mc Lanche Feliz mais saudável. A redução de 10% do sódio em alguns poucos ingredientes não é significativa.

Basta lembrar o estudo feito pela Associação há dois anos, em que o sódio presente no lanche infantil (cheesburguer, batata frita e refrigerante) ultrapassava as necessidades diárias para as crianças. Para os adultos, a quantidade desse mineral presente no principal combo equivalia a 40% do recomendado para um dia.

Já a redução do açúcar nos sucos é interessante, pois significa uma alternativa em relação ao refrigerante, composto por açúcar e diversos aditivos alimentares, sem vitaminas ou minerais. Por fim, a troca da batata frita pela salada certamente é melhor para a saúde, resta saber qual será a adesão dos consumidores a esta opção.

Segundo a Arcos Dorados, empresa responsável pela marca McDonald´s, o Mc Lanche Feliz ganhou uma porção de 36g de maçã descascada e a batata frita ganhou uma nova versão, de menor tamanho, no lanche das crianças: a McFritas Kids. Todas as combinações de lanche (hambúrguer ou cheesburguer, nuggets, batata ou cenourinha, refrigerante ou suco e fruta) somam no máximo 600 kcal, segundo a Arcos Dorados.

Além disso, pães, nuggets, queijo e ketchup tiveram redução de 10% no teor de sódio. Os sucos de frutas tiveram uma redução de 40% na quantidade de açúcar, passando a ter um limite de 5g por 100ml. Ainda, uma nova salada foi lançada para ser uma opção à batata frita nas Mc ofertas.

Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 do IBGE revelam que metade dos adultos brasileiros está com sobrepeso ou obesidade. O resultado desta pesquisa indica que, em 20 anos, os casos de obesidade mais do que quadruplicaram entre crianças de 5 a 9 anos, chegando a 16,6% (meninos) e 11,8% (meninas).

Alimentar-se é um ato voluntário e consciente, partindo assim do individuo a escolha do que, onde e como comer. O papel dos pais na educação nutricional dos filhos é importantíssimo. Por isso, incentivar os pequenos desde cedo a terem hábitos alimentares saudáveis e dar bons exemplos deve ser um exercício diário. Pense nisso!


Imprimir Enviar a um amigo