Notícia

Seminário promovido pela PROTESTE aborda consequências da crise no setor de saúde

01 setembro 2016

01 setembro 2016
Crise econômica afetou tanto o SUS, quanto os planos de saúde privados. PROTESTE pela Saúde: junte-se à nossa luta e saiba como exigir mais qualidade e eficiência no atendimento.

XIV Seminário Internacional de Defesa do Consumidor aborda consequências da crise no setor de saúde

Na última terça-feira (30), aconteceu o XIV Seminário Internacional PROTESTE de Defesa do Consumidor, em São Paulo. Durante o evento, vários especialistas do Brasil e do exterior discutiram o tema Planos de Saúde, com foco nos impactos da crise econômica e reflexos para o consumidor. A conclusão é que tanto o Sistema Único de Saúde (SUS) quanto o mercado de saúde suplementar precisam urgentemente de mudanças. 
  

Visando melhorar a crítica situação que vivemos no setor de saúde atualmente, a PROTESTE está fazendo a mobilização “PROTESTE pela Saúde”, para cobrar atendimento de qualidade e um modelo de saúde que seja mais eficiente para sociedade. 

Saúde é coisa séria. Não podemos ficar de braços cruzados diante dos inúmeros problemas enfrentados quando se precisa de um atendimento digno. Junte-se à nossa luta e torne nossa voz ainda mais forte para cobrar mais qualidade na saúde pública e privada no Brasil. 

QUERO PARTICIPAR 

Vamos nos mobilizar contra os cortes no SUS e promover o conhecimento dos seus direitos enquanto cidadão, para cobrar maior eficiência da saúde pública, melhor gestão e mais transparência no sistema. 

Já saúde privada seremos contrários a redução de coberturas, ampliaremos o conhecimento dos direitos de manter o plano de saúde pós-demissão ou aposentadoria e exigir dos corretores que informem aos usuários de forma clara, as diferenças entre plano individual e coletivo na hora da contratação. 

Pesquisa comprova que usuário é mal informado 


A falta de informação sobre o tema também foi amplamente discutida no seminário. Durante o evento foi divulgado o resultado de uma pesquisa realizada pela PROTESTE com usuários de planos privados, que mostra que 71% dos consumidores não sabem a diferença entre plano de saúde coletivo e individual. 

Crise afeta fortemente o setor de saúde 


José Carlos de Souza Abrahão, presidente ANS destacou que a atual crise tem impacto no sistema de saúde complementar - só em julho a perda foi de 170 mil beneficiários. E Sandro Leal - superintendente da Fenasaude falou sobre os obstáculos atuais para as operadoras e mostrou que elas vêm buscando para diminuir despesas administrativas nesse atual momento de recessão da economia. 

Já Paulo Furquim de Azevedo, coordenador do Centro de Estudos em negócios do instituto de pesquisa- Insper destacou que os gastos com plano de saúde vem aumentando, e que há pouco incentivo para a redução dos custos. Para Ligia Bahia – professora da UFRJ na questão do co-pagamento, é preciso mais clareza nas políticas dos planos de saúde, inclusive no que diz respeito à regulamentação de preço. 

Para o consumidor driblar a crise, em caso de desemprego ou impossibilidade de arcar com os custos é preciso optar por meios alternativos ao plano de saúde, como o SUS. Maria Inês Dolci, Coordenadora Institucional da PROTESTE encerrou o debate ressaltando a importância da população cobrar seus direitos, especialmente nesse período de eleições -"devemos estar atentos às propostas".


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo