Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Seguro dos Correios não indeniza valor total do objeto postado
Saiba em quais casos o ressarcimento ao consumidor não é assegurado e veja o que fazer para obter uma garantia maior do serviço.
29 agosto 2018 |

Milhares de encomendas são enviadas diariamente para todo o Brasil via Correios.

Durante os processos de entrega é possível que ocorram contratempos, como: objeto roubado, extraviado, perdido pela própria empresa, entre outros. 

A fim de garantir o seguro dos pertences dos clientes, a empresa estabeleceu no início de janeiro de 2018, a obrigatoriedade de informar o valor dos produtos, afixando uma nota fiscal, descrevendo o conteúdo na parte externa do pacote.

Anteriormente, a medida só era aplicada aos contratantes do seguro. Dessa forma era possível saber exatamente o que estava sendo enviado.

No entanto, alertamos que apesar da mudança, a regra não garante que você seja ressarcido, em casos de roubo, por exemplo.

Saiba se você tem direito à indenização em casos de extravio de produtos

A indenização integral só acontecerá para os consumidores que optarem pelo seguro

Se o objeto é de grande valia, o consumidor que desejar maior garantia do serviço, deve contratar, no ato da postagem, o seguro de valor declarado, que tem um limite máximo de R$ 10 mil se enviado pelo Sedex ou R$ 3 mil, se enviado pelo PAC. 

Já os demais pacotes sem seguro contratado, só terão o reembolso de R$ 18,50, que corresponde ao valor médio da postagem, ou seja, a indenização automática disponibilizada pelos Correios.  

Para os consumidores sem seguro, foi estabelecida, em fevereiro, a política de indenização em caso de atraso, extravio ou roubo de mercadorias.

A nova regra considera maior tolerância para atrasos, porém, diminui o percentual a ser devolvido. 

Para nós, essa desvantagem é desleal com o consumidor. Por exemplo, os serviços mais comuns, tais como PAC e SEDEX, variavam de 10% a 30% de indenização e, com a norma em vigor, a porcentagem agora fica entre 5% e 15%.

Ressaltamo que a falta de informação para os consumidores no momento da postagem é uma falha, uma vez que o mesmo não tem de comprovar em uma ação judicial que não foi informado.

Ainda assim, caso  você se sinta lesado, deve contatar a Ouvidoria dos Correios ou até mesmo recorrer ao Procon.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 4003-3907 (de celular).

Leia também

selo-proteste-aprovado
Internet 2
cartao-de-loja
Mais-barato-PROTESTE2

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.