A partir de Proteste Gostaríamos de informar que o nosso website utiliza os seus próprios e Cookies de Terceiros para medir e analisar a navegação dos nossos usuários, a fim de fornecer produtos e serviços de seu interesse. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Comércio Eletrônico

Os brasileiros têm o hábito de adquirir produtos e serviços pela Internet, mas ainda deixam de lado algumas medidas capazes de evitar possíveis problemas.

Na última década, o comércio eletrônico se multiplicou, devido ao conforto proporcionado aos consumidores, que escolhem e comparam preços de produtos e serviços na Internet, e fecham negócios em casa ou no trabalho.

Deveria ser um avanço em todos os sentidos, mas descobrimos, mais dia menos dia, que os golpes também migraram para a web. Há todo o tipo de inconveniente: falsos sites de vendas, que saem do ar do dia para noite, lesando clientes que já pagaram pelas compras; atrasos na entrega; produtos que não correspondem ao que foi anunciado e adquirido, falta de itens para atender o consumidor.

Em resposta às reivindicações das associações de defesa do consumidor, desde 15 de maio de 2013 está em vigor uma nova legislação para o comércio eletrônico, que obrigou os empresários, por exemplo, a colocar em local de destaque nos sites dados  comerciais, endereço físico e eletrônico e demais informações que facilitem sua identificação e contato. Também foi positivo exigir que houvesse SACs nestas lojas, para resolução de demandas relativas a informações, dúvidas, reclamações, suspensões e cancelamentos de contratos.

A legislação também engloba os sites de compras coletivas, um problema à parte para as entidades particulares e públicas de defesa do consumidor. A lei não soluciona tudo, porque depende do Judiciário colocar os criminosos na cadeia. Sem isso, as boas intenções não se transformarão em resultados práticos mais abrangentes e definitivos.

O esclarecimento do consumidor para que evite golpes em compras virtuais é um dos objetivos da PROTESTE, razão pela qual desenvolvemos a Cartilha de Comércio Eletrônico, que pode ser baixada ao lado. As nossas principais dicas para realizar uma compra segura são:

  • Só compre em páginas da Internet conhecidas pelo público em geral. Verifique se o site possui telefone e endereço. Além disso, procure na Internet informações sobre a reputação da página.
  • Confira se o site possui certificado de segurança emitido por uma empresa autorizada, como, por exemplo, Certisign e Site Blindado.
  • Observe se o endereço do site é iniciado com "https". Além disso, no canto esquerdo da página, você verá um pequeno cadeado.
  • Não use computadores de lan houses ou Internet pública para fazer compras on-line.
  • Não deixe de utilizar tanto o antivírus quanto o firewall, e de mantê-los atualizados.
  • No caso de receio em usar o cartão de crédito, pague por boleto ou transferência bancária. Plataformas como o Paypal são outra opção.

Por fim, lembramos que graças a atuação da PROTESTE, há menos armadilhas de lojas virtuais na internet! Conseguimos na Justiça o bloqueio dos sites da Agitécnica (Dia Magazine, Celular Digital e etc) e auxiliamos na suspensão dos domínios Planeta Ofertas, Fator Digital e Compra Fácil. Navegue nos links relacionados para maiores informações!

Publicações sobre Comércio Eletrônico

PROTESTE questiona Mark Zuckerberg sobre a Libra, nova moeda virtual do Facebook

16 jul 2019

Facebook anunciou no início de junho sua própria moeda virtual e seu plano de lançá-la no primeiro semestre de 2020

PROTESTE alerta sobre propagandas enganosas durante o fim de ano

17 dez 2018

A publicidade é uma das ferramentas essenciais de vendas, mas precisa ser clara e honesta com o consumidor

PROTESTE orienta consumidores sobre as compras de fim de ano

30 nov 2018

Conhecer o Código de Defesa do Consumidor pode ajudar na hora de resolver os problemas, relembra associação

Ferramenta online da PROTESTE auxilia consumidores a identificar fraudes na Black Friday

25 nov 2018

Associação relembra ferramenta "Mais Barato PROTESTE" que revela as variações de preço dos produtos online

PROTESTE divulga variações de preços de 800 produtos para Black Friday

22 nov 2018

Associação monitora 42 lojas desde dezembro de 2017 para verificar descontos

PROTESTE orienta como o consumidor pode proceder referente a falha nos processadores Intel

08 jan 2018

Intel divulga lista com modelos de processadores afetados

Cuidado com as liquidações em 2018: PROTESTE dá dicas de como aproveitar as ofertas

03 jan 2018

Consumidores precisam ter cautela e evitar compras por impulso para não estourar o orçamento e não cair em falsa armadilha do preço baixo

Vazamento de dados do Uber e supervalorização Bitcoins, o que eles tem em comum, segundo a Proteste

29 nov 2017

PROTESTE alerta os consumidores para a importância de uma discussão urgente e revisão do Marco Regulatório da Internet para a efetiva proteção destes dados

Black Friday: PROTESTE encontra variação de até 44% em um mesmo produto

24 nov 2017

Em estudo, Associação faz comparação de preço com os nove produtos mais procurados pelos consumidores

PROTESTE lança ferramenta de pesquisa de preços para a Black Friday

24 nov 2017

Associação monitorou o preço de mais de 800 produtos